Governo federal adia Enem e pede que estudantes escolham uma nova data

Uma enquete será disponibilizada na Página do Participante, para que quem já se inscreveu vote

(Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

O governo federal anunciou na tarde desta quarta-feira (20) que vai adiar a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020. A prova, que estava prevista para novembro, poderá ocorrer em dezembro deste ano ou em janeiro de 2021.

O Ministério da Educação não fixo uma nova data. Informou que a prorrogação pode ser de 30 a 60 dias, dependendo do que preferirem os estudantes que já estão inscritos. Uma enquete será promovida na “Página do Participante”. As votações começam em junho.

Enquanto isso, as inscrições continuam abertas, seguindo o calendário original. O prazo é até esta sexta-feira, 22 de maio.

A decisão do governo veio logo após o Senado aprovar, por 75 votos contra 1, a suspensão do Exame deste ano, por conta da pandemia do novo coronavírus.

O principal argumento dos senadores é que, com a necessidade de suspensão das aulas em todo o território nacional, os estudantes – em especial os da rede pública de ensino – não estariam em condições de realizar a prova.

LEIA TAMBÉM

O projeto deu entrada na Câmara Federal nesta quarta-feira (20), onde os deputado já se preparavam para votar outra proposta – criada na própria Casa -, mas com o objetivo semelhante.

Novo cronograma

Horas antes, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, sugeriu por meio de sua conta no Twitter o adiamento por 30 ou 60 dias. Uma proposta que, segundo ele próprio, surgiu “diante dos recentes acontecimentos no Congresso”.

No site do MEC, a informação sobre a consulta aos estudantes estava disponível desde a tarde de terça-feira (19), mas não confirmava o adiamento.

Já no portal do Enem, propriamente, uma “nota de esclarecimento” – disponível ainda nesta quarta-feira (20) – dá a entender que o governo vai manter o cronograma, justamente, por ser difícil escolher uma nova data, diante das incertezas da pandemia.

“[…] já se demonstrou abertura para nova alteração da data de aplicação das provas, tão logo o cenário fique mais definido, o que se reafirma na presente Nota. Assim, reitera-se, a ação de divulgação das datas atuais baseou-se na importância de a sociedade ter conhecimento e segurança sobre a realização do Enem”, diz trecho da nota no site do Enem.

Os inscritos

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) – responsável pela aplicação da prova -, cerca de 4 milhões de pessoas já se inscreveram para realizar o Enem deste ano.

As provas ocorreriam, na versão “tradicional” impressa, nos dias 1º e 8 de novembro; e na versão digital – inédita neste ano – nos dias 22 e 29 do mesmo mês.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCovid-19: Prefeitura de Cuiabá avalia criação de postos de triagem e testes rápidos
Próximo artigoComo utilizar um Spy App para proteger meu(s) filho(s) adolescente(s)?