Governador Mauro Mendes cobra retorno de professores às salas de aula

Mauro Mendes diz que professores precisam se adequar à realidade, cita investimentos e vê normalidade em manifestos

O governador Mauro Mendes (DEM) defendeu publicamente que a rede pública estadual de ensino retome as aulas presenciais em Mato Grosso.

Reconhecendo os efeitos da pandemia do coronavírus, Mendes ressaltou que a classe trabalhadora precisa se adequar à realidade diante da impossibilidade de interrupção de todos os setores, independentemente de ser público ou privado.

“Nós temos que encontrar uma forma de tocar nossa vida. O coronavírus, pelo que está dizendo a ciência, vai continuar entre nós. Precisamos encontrar, como várias categorias encontraram, prefeituras, mercado privado, educação privada. Precisamos encontrar em todas as áreas uma atividade segura”, disse.

Após a Assembleia Legislativa aprovar projeto de lei que reconhece as escolas como essenciais e ser sancionado pelo Executivo, a Secretaria de Estado de Educação editou portaria que regulamenta o retorno dos professores ao trabalho presencial, exceto dos servidores pertencentes ao grupo de risco da covid-19.

Mendes destacou também que determinou à Secretaria de Estado de Saúde (SES) que priorize a vacinação dos profissionais da educação, o que inclui professores e técnicos administrativos, logo após ser encerrado o ciclo de imunização dos servidores da segurança pública.

“Nós não podemos penalizar nossos alunos. Temos que encontrar uma forma segura, com distanciamento, com regra, com máscara. Todos os cuidados necessários para voltarmos. A rede privada já está 100%, vários municípios estão voltando”, disse.

Protestos

Questionado a respeito de manifestações organizadas pelo Sintep (Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público) com críticas à gestão estadual, o governador Mauro Mendes disse que os manifestos são válidos numa democracia.

Entretanto, diz que sua gestão tem retomado a capacidade de investimentos, gerando reflexo positivo à sociedade, principalmente nos municípios do interior.

“As manifestações são naturais. Eu não tenho a pretensão de agradar a todo mundo. Quando vejo cinco a oito pessoas se manifestando é bom! Democracia exige isso. Mas nós estamos muito convencidos do que estamos fazendo por Mato Grosso e do resultado que estamos apresentando. Em todo o Estado de Mato Grosso está sendo visto. É claro que sempre vai existir um outro que esteja reclamando. Democracia é a vontade da maioria. Democracia não é a vontade de todos”, concluiu.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFalta de anestésicos tem impacto também nas clínicas veterinárias
Próximo artigoFatura ainda mais cara