Governador faz apelo após derrota na ALMT: “Com ou sem feriados, quero pedir a colaboração”

Deputados rejeitaram proposta de Mauro Mendes (DEM) que previa 10 dias de feriado antecipado para combater a covid-19

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Em Mato Grosso, a expectativa dos últimos dias girava em torno da aprovação do projeto que anteciparia feriados no Estado. Ideia do governo, a proposta foi rejeitada pelos deputados, nesta terça-feira (23). Após a derrota, o governador Mauro Mendes (DEM) lamentou a situação e fez um apelo aos mato-grossenses.

“O projeto não foi aprovado, infelizmente. Estamos numa democracia e o poder do governador não é absoluto. Com ou sem feriados, quero pedir a colaboração de todos para que nos esforcemos para praticar e reforçar o distanciamento social. O momento exige isso para salvarmos a sua vida, a vida da sua família e das pessoas que você ama”, escreveu.

A proposta de Mendes previa 10 dias de feriado antecipado para os 141 municípios em uma espécie lockdown. O projeto foi rejeitado e arquivado ainda na análise das comissões – antes de ter o mérito apreciado pelos parlamentares.

Mendes chegou a se reunir com membros da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) para tentar convencê-los, em vão.

Ao se manifestar sobre a derrota, o governador apontou para os dados recordes da covid-19 no Estado: na segunda-feira (22), 125 pessoas morreram com a doença. Esse é o maior número de mortes diárias desde o início da pandemia.

(Foto: Endilson Aguiar/O LIVRE)
“Peço para que não façam festas ou aglomerações, porque isso irá prolongar o sofrimento que todos nós estamos passando. Quanto mais rápido conseguirmos baixar a ocupação de UTIs, reduzir o contágio e as mortes, mais rápido poderemos retornar à nossa vida nesse novo normal”, completou.
Segundo o Mapa Brasileiro da Covid-19, Mato Grosso tem o menor índice de isolamento social do Brasil, 38,2%. Todos os outros Estados e o Distrito Federal possuem taxa acima de 44%.

Investimentos e dificuldades

Mendes também desabafou sobre a situação do sistema de saúde em Mato Grosso, que enfrenta o maior desafio nos últimos tempos. Ao todo, o Estado possui 535 leitos de UTI para tratar covid-19, entre pactuadas, cofinanciadas e próprias.

Mauro promete abrir mais 120 leitos de UTI e 500 clínicos, mas esbarra em um problema, que não é dinheiro. No primeiro semestre do ano passado, Mato Grosso foi o único Estado a ter aumento arrecadação, segundo o Conselho Nacional de Política Fazendária.

“O problema não é dinheiro, meus amigos. Temos recursos para abrir outras centenas. Mas dependemos de profissionais de saúde, que estão escassos, que estão trabalhando no limite”, afirmou o governador, citando também a falta de remédios e vacinas.

Imagem Ilustrativa (Foto: Freepik)

Trabalhador e empresário

Se dirigindo aos trabalhadores e empresário, o governador admitiu o momento difícil e se disse sensível às dificuldades.

“Estamos sensíveis às dificuldades de você, trabalhador. Também sou empresário. Conheço de perto a rotina de empregadores e empregados. Mas só pode trabalhar quem está vivo, só pode procurar emprego quem tem saúde. Teremos tempo para retomar a economia, mas a luta para salvar vidas é urgente”, pontuou.

No último mês, Mendes decretou multa para pessoas e empresas que aglomerarem. Os valores foram aumentados e triplicados em casos de reincidência.

“Aumentamos as multas para pessoas e empresas. Triplicamos para quem reincidir, e vamos fechar os estabelecimentos que insistirem na ilegalidade. Seremos intolerantes com irresponsáveis que possam causar a morte de mais mato-grossenses”, completou.

Para fazer valer o decreto, as forças de Segurança devem intensificar as fiscalização nos locais frequentes aglomeração, “como os condomínios, os bairros, beira dos rios, portas de conveniência e outros”, reforçou também o governador.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNascidos em julho podem atualizar dados no Caixa Tem
Próximo artigoMulta para cidadão que desrespeitar decreto pela segunda vez será de R$ 1500