Gilmar Mendes vota contra recurso e Lula deve permanecer preso

O mato-grossense acompanhou o voto do relator Edson Fachin, formando a maioria de ministros contrária a soltura do ex-presidente Lula

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, votou na tarde desta quarta-feira (09) contra a reclamação da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que tenta reverter sua prisão. O mato-grossense seguiu o voto do relator Edson Fachin, que também foi contra o recurso.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, com a manifestação de Mendes, já é maioria na Corte o posicionamento contrário a soltura do ex-presidente. Lula foi condenado em segunda instância a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do triplex do Guarujá (SP), e cumpre pena desde 7 de abril, na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR).

Participam da votação eletrônica os cinco ministros da 2ª Turma do STF, colegiado também composto por Celso de Mello, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli. Com o voto de Gilmar já são três ministros contra o recurso. Além dele e do relator, Dias Toffoli também votou dessa forma.

“Ante o exposto, reitero e ressalvo o meu posicionamento pessoal sobre a matéria, mas acompanho o eminente Relator em homenagem ao princípio da colegialidade, confirmando a decisão que negou seguimento à reclamação, sem prejuízo da apreciação de outros casos que eventualmente se coloquem à jurisdição desta Corte”, conclui.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOficina de ilustração promove a representação da diversidade no Sesc
Próximo artigoPaulo Taques e irmão vivem do crime, diz Ministério Público

O LIVRE ADS