Gilmar Mendes veta realização de atividades religiosas presenciais

A decisão vem na contramão do entendimento do ministro Kassio Nunes e o tema será decidido em uma votação do plenário

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta segunda-feira (5) manter um decreto do governo de São Paulo que proíbe missas, cultos e demais atividades religiosas presenciais.

A decisão vem na contramão do entendimento do ministro Kassio Nunes Marques, que liberou atividades religiosas presenciais em todo território nacional, desde que sigam orientações básicas para evitar o contágio pelo novo coronavírus.

“Quer me parecer que apenas uma postura negacionista autorizaria resposta em sentido afirmativo. Uma ideologia que nega a pandemia que ora assola o país, e que nega um conjunto de precedentes lavrados por este Tribunal durante a crise sanitária que se coloca”, afirmou o ministro.

Com o conflito de entendimentos entre Kassio Nunes e Gilmar Mendes, o tema deve ser votado no plenário do STF para que o conjunto de ministros decida a respeito. O assunto foi pautado pelo presidente da Corte, Luiz Fux, para essa quarta-feira (7).

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCortesia pré 2022?
Próximo artigoAssociação Cultural Flor Ribeirinha mantém viva parte da história de Cuiabá