Gestante é obrigada a mostrar barriga para provar que não estava furtando mercado

No 6º mês de gestação, os funcionários acharam que a barriga da mulher fosse algum produto escondido dentro da roupa

Imagem: Freepik

Uma gestante de 25 anos sofreu um constrangimento nessa quarta-feira (3) ao ser obrigada a mostrar a barriga para funcionários de um mercado no Bairro Nova Conquista, em Cuiabá, para provar que o volume dentro de sua roupa era por sua gestação e não por estar furtando algo.

Segundo relato da vítima, por volta das 17h30 ela chegou ao mercado e foi até a sessão de frutas, onde escolheu as que iria comprar. Depois, foi até a sessão de rações para animais e enfim para o caixa do mercado.

Quando se aproximou do caixa, perguntou para o marido se ele tinha notado um funcionário cuidando dela, como se ela estivesse devendo algo.

Na vez do casal passar as compras, o funcionário que estava seguindo a mulher se aproximou e disse ao marido que a mulher teria que levantar a blusa de frio para ele ver o que ela escondia embaixo da roupa.

O marido respondeu imediatamente que ela estava grávida e, mesmo assim, o funcionário insistiu que ela tinha que levantar a blusa.

Ameaça de processo

Ela questionou o funcionário dizendo que poderia processar o mercado por estar fazendo ela passar vergonha, sendo acusada de roubo na frente de muitos clientes e funcionários e, ainda assim, ele seguiu insistindo para que ela levantasse a blusa.

A mulher levantou a blusa e mostrou que não estava furtando nada, mas sim estava grávida, no 6º mês de gestação. Ela perguntou quem era a gerente e ele apontou para uma mulher que estava logo à frente, vendo toda a cena.

O funcionário alegou que a gerente o teria mandado abordar a gestante e conferir o que tinha embaixo da blusa dela.

Revoltada, a mulher pegou as sacolas das compras pelas quais já tinha pagado, foi até a gerente e questionou a atitude de a terem feito passar vergonha na frente de todas as pessoas. Mas a gerente disse que era apenas uma funcionária e esse era o trabalho dela.

Mesmo após provar que não havia furtado nada, a gestante alegou não ter recebido nem mesmo um pedido de desculpas e que continuou sendo tratada como se tivesse praticado um furto.

No início da madrugada desta quinta-feira (4), ela procurou a polícia e registrou um boletim de ocorrência contando o ocorrido. O caso foi registrado como constrangimento ilegal.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVirginia Mendes não contraiu o novo coronavírus, afirma governo
Próximo artigoApoio dos clientes é indispensável para manutenção dos serviços essenciais de saneamento

O LIVRE ADS