Gerente de fazenda que matou patrões é condenado a 48 anos de prisão

Gerente de fazenda confessou ter matado os patrões, que desconfiavam que ele roubava gado

(Foto: Divulgação/TJMT)

Réu confesso, o gerente de fazenda José Bonfim Alves de Santana foi condenado pelo Tribunal do Júri de Vila Rica (1.260 km de Cuiabá) a 48 anos de prisão.

Ele foi o autor do duplo homicídio, triplamente qualificado, dos procuradores de Justiça Saint’Clair Martins Souto, de 78 anos, e Saint’Clair Diniz Martins Souto. Pai e filho, eles foram mortos em setembro de 2016.

Conforme o Ministério Público de Mato Grosso, os procuradores eram os proprietários da fazenda que José Bonfim gerenciava e desconfiavam de que ele roubava gado do local.

Trabalhando há oito anos na propriedade, José Bonfim teria causado um prejuízo milionário à família. Por conta da desconfiança dos patrões, ele os teria matado.

Depois do crime, o assassino ocultou os cadáveres e fugiu para o Tocantins.

O julgamento

O julgamento foi  realizado nessa terça-feira (6). As esposa das vítimas atuaram como assistente de acusação no júri popular.

Devido a repercussão do caso, um forte esquema de segurança foi montado no Fórum de Vila Rica. O juiz Ivan Lúcio Amarante limitou o acesso à sala de audiência para 60 pessoas. Os interessados em assistir tiveram que se inscrever previamente.

Ao todo, o júri durou cerca de 14 horas. Jurados consideraram que as vítimas não influenciaram a prática delitiva do acusado e que o crime aconteceu por motivo torpe. Destacaram, contudo, que José Bonfim não tem antecedentes nem registro de outras “condutas desviadas”.

Apesar de o réu ter confessado espontaneamente o crime, os jurados também consideraram uma fraude em um carro usado como elemento de prova no processo. O objetivo seria induzir a Justiça ao erro. Por isso, ele teve a pena aumentada.

Ao final, José Bonfim foi condenado a 47 anos e três meses de prisão e um ano e seis meses de detenção. Ele ainda deve pagar 60 dias-multa. A pena deve ser cumprida em regime inicialmente fechado.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDeputados de MT permanecem favoráveis à reforma da Previdência
Próximo artigoMulher é espancada por ex-marido e mantida em cárcere privado por 8 horas

O LIVRE ADS