Geller na mira do STF

Deputado deve ser ouvido sobre esquema de compra de votos na Câmara

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O deputado federal Neri Geller (PP) pode ter voltado à mira do Supremo Tribunal Federal (STF), segundo nota da Veja publicada nesta segunda-feira (9).

Ele deve ser ouvido no inquérito que apura suspeita de compra de votos para eleição do ex-deputado Eduardo Cunha (MDB) na Câmara Federal, em 2014. A relatoria é da ministra Rosa Weber.

Quando Cunha foi eleito, Neri Geller era ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e editou uma instrução normativa que retirava do mercado o vermífugo “avermectina”.

Esse ato teria favorecido diretamente a JBS, que, assim, conseguiu aumentar as exportações de carne para os Estados Unidos. A suspeita é de que, com essa interferência, a JBS tenha repassado propina a diversos agentes públicos.

Cunha teria recebido mais de R$ 30 milhões de Joesley Batista, para usar o dinheiro na eleição da Câmara.

O pagamento de propina por parte da JBS para políticos e agentes do Ministério da Agricultura chegou a ser investigado na Operação Lava Jato, que resultou na prisão de Neri Geller em novembro de 2018.

Na época, as prisões se basearam na delação do doleiro Lúcio Funaro. Ele afirmou que havia um esquema de arrecadação de propina dentro do Ministério da Agricultura para beneficiar políticos do MDB, que recebiam dinheiro da JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, em troca de medidas para beneficiar as empresas do grupo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS