Galvan: desempenho do PIB é frustrante e há risco de queda em 2019

Em 2017, a agropecuária teve o pior desempenho ficando atrás da indústria (0,6%) e serviços (1,3%)

Foto: Assessoria
O resultado do Produto Interno Bruto (PIB) divulgado, nesta quinta-feira (28), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que a agropecuária se manteve praticamente estável em relação a 2017, ao crescer apenas 0,1%. De acordo com os dados do IBGE, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país fechou 2018 com crescimento acumulado de 1,1%, em relação a 2017.
Para o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Antonio Galvan, o desempenho é frustrante, quando comparado ao desempenho em 2018, quando o setor teve crescimento de 12,5%. Em 2017, a agropecuária teve o pior desempenho ficando atrás da indústria (0,6%) e serviços (1,3%).
“No caso da soja e do milho há uma série de fatores que justificam essa estagnação. Como exemplo podemos citar, principalmente, a elevação do custo de produção no campo, o impacto da greve dos caminhoneiros em maio de 2018. No entanto, o mais preocupante não é a estagnação agora, mas sim o risco de PIB ser negativo no próximo ano. E as chances são grandes. Aumento de tributação, aumento de custo produção que já foi estimado, entre outros fatores, já nos preocupa”, afirma Galvan.
Conforme dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), o custo de produção da safra de soja, que está em fase final de colheita, é de R$ 3.628,50, por hectare. Já a previsão para a próxima safra é de alta, chegando a R$ 3.852,15.