Frente contra o passaporte sanitário

Projetos proíbem que comércio, órgãos públicos e igrejas exijam documento

(Foto: Ronaldo Mazza/ALMT)

Uma emenda do deputado estadual Faissal Calil (PV) ao projeto de lei que proíbe a cobrança de passaporte sanitário em Mato Grosso inclui igrejas e órgãos públicos na lista de lugares que não devem fazer a exigência. 

O projeto original, da deputada estadual Janaína Riva (MDB), prevê que o comércio e outros estabelecimentos empresariais não façam qualquer exigência para atender o público.  

A proposta foi apresentada em resposta a tentativas de legalizar o passaporte em Mato Grosso. Rondonópolis já aprovou a medida e a Câmara dos Vereadores de Cuiabá analisa um projeto. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSó proposta
Próximo artigoSenado aprova incentivo à energia solar no financiamento imobiliário