Fraude nas senhas: TCE manda governo anular contrato com gestora do Ganha Tempo

Repasses do governo ao consórcio eram calculados com base na quantidade de atendimentos à população

(Foto: Ednilson Aguiar / O Livre)

A Secretaria de Estado de Trabalho Emprego e Cidadania (Setacs) tem 30 dias para anular a concorrência pública que habilitou o Consórcio Rio Verde a gerir as unidades do Ganha Tempo em Mato Grosso. A decisão, proferida na segunda-feira (14), foi do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que determinou ainda que a segunda colocada fosse chamada para assumir o serviço.

O consórcio é acusado de utilizar documentos e informações para fraudar a quantidade de atendimentos realizados. O relatório da auditoria do TCE identificou que o número de senhas não era compatível com o tempo médio dispensado a cada cidadão, sendo que, em 30 mil casos, o período foi definidos como “irrisório”.

Vale lembrar que cerca de 86% do valor recebido pelo consórcio era calculado com base no número de atendimentos efetuados.

Desde que o esquema veio a público, com a operação policial “Tempo é Dinheiro”, deflagrada em setembro deste ano, o Ganha Tempo está sob a intervenção do governo do Estado.

Agora, vai ser a vez do caso protagonizar uma matéria de âmbito nacional, que irá ao ar no Domingo Espetacular deste dia 20. As chamadas para a reportagem estão na grade da emissora desde o começo da semana.

LEIA TAMBÉM

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLampard faz campanha por volta de torcedores aos estádios em 2021
Próximo artigoExportações de carne do Brasil devem crescer 8,8%