Fórum Sindical convoca paralisação e dá início a “construção de greve geral”

O Fórum Sindical afirmou não reconhecer a aprovação do pacote fiscal do governo por parte da Assembleia Legislativa

Ednilson Aguiar/O Livre

Afirmando não reconhecer a aprovação do pacote fiscal do governo de Mato Grosso o Fórum Sindical convocou todos as categorias de servidores públicos do Estado para a “construção da greve geral”, que deve ter início com uma paralisação de 24 horas anunciada para 12 de fevereiro.

A decisão de dar continuidade ao que havia sido anunciado no início do mês se deu após reunião realizada nessa sexta-feira (25), a fim de avaliar o movimento de ocupação da Assembleia Legislativa, em virtude da votação dos projetos que integram o pacote, que durou dois dias.

“A ação foi de grande impacto e atingiu o objetivo de expor os Poderes, tanto Legislativo quanto o Executivo, nas suas artimanhas de desmonte do Estado para os mais pobres e assalariados, mantendo os privilégios dos barões do agronegócio que não pagam impostos”, diz trecho do relatório da reunião.

O fórum entende que o governo está “destruindo” os direitos dos servidores e, dessa forma, afirma que dará seguimento ao plano indicado na plenária de 17 de dezembro. “Este é apenas o primeiro round de ataques na consecução do objetivo do governo de redução dos serviços públicos e entrega de setores importantes de políticas públicas nas mãos da iniciativa privada através de privatizações e terceirizações”.

Para construção da greve geral, o Fórum determina que cada sindicato realize uma assembleia com a categoria até 11 de fevereiro, deliberando sobre o estado de greve e a paralisação de 24 horas.  Entre as pautas da greve estão a garantia da concessão da Revisão Geral Anual (RGA), um calendário de pagamento de salários sem atraso e do 13º no dia do aniversário, além da quitação dos que não foram pagos em novembro e dezembro do ano passado.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSete governadores já decretaram estado de calamidade financeira
Próximo artigoJustiça de Minas Gerais bloqueia R$ 1 bilhão da Vale