Fórum faz manifesto contra reabertura do comércio: “Na contramão do mundo”

Grupo pede revogação dos decretos que flexibiliza o comércio em Cuiabá, Várzea Grande e no estado

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Fórum Permanente de Saúde e a Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares em MT se manifestaram contra a reabertura do comércio. Um dos pedidos do grupo é que os decretos que flexibilizam a abertura de lojas e comércio em Cuiabá, Várzea Grande e Mato Grosso sejam revogados.

Na capital, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) autorizou a reabertura nesta segunda-feira (27), com horário de funcionamento reduzido. Em Várzea Grande, na região metropolitana, o funcionamento parcial foi decidido no dia 7 de abril.

O documento usa dados do Ministério da Saúde para embasar o posicionamento. Segundo o manifesto, o Brasil tem 60 mil casos confirmados da doença e mais de 4 mil óbitos pela doença, sendo 346 nas últimas 24 horas.

“Mais uma vezes nossos governantes e patrões demonstram descaso com Saúde: para manter seus negócios e lucros colocam em risco a vida de milhares de trabalhadores numa política genocida”, diz o manifesto.

LEIA TAMBÉM

O Fórum também defende mais investimento no SUS durante o combate à pandemia e afirma que 75% dos brasileiros têm acesso apenas a este sistema.

“Lembramos que a estrutura da saúde em Mato Grosso é bastante fragilizada pela terceirização dos hospitais que nunca supriram a demanda de UTI, muito menos agora, diante da real expansão dessa pandemia em MT”, continuam.

O estado tem 250 casos confirmados de covid-19 e 10 mortes em decorrência da doença, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

Ainda no documento, os médicos fazem um pedido. “Diante do atual cenário fazemos um apelo: fiquem em casa!”, diz trecho do documento publicado na internet.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Dedos da covid”: inchaço e inflamação nos pés são novos sintomas investigados
Próximo artigoMato Grosso registra 256 casos e dez mortes por covid-19