Formigas usam cabeças das “inimigas” para decorar casa

Um mistério prestes a ser resolvido

(Foto: Reprodução/O Livre)

Um dos mistérios mais antigos da ciência está começando a ser desvendado por cientistas. Há 60 anos, cientistas sabem que a espécia chamada Fornica archboldi gosta de decorar seu ninho com crânios ou carcaças de cabeças de diversos tipos de formigas-de-estalo.

O fato é um tanto bizarro uma vez que as formigas-de-estalo são equipadas com potentes ferrões e mandíbulas gigantes que podem fechar instantaneamente com muita força. Já, as diminutas formigas F. archboldi, nativas da Flórida conseguem derrotá-las e arrancar suas cabeças. Mas como isso acontece?

Em um novo estudo publicado no periódico Insectes Sociaux, o biólogo Adrian Smith demonstra que a F. archboldi domina sua presa com jatos rápidos de ácido tóxico. O curioso é que esse mecanismo de defesa é utilizado como forma de ataque contra as formigas-de-estalo.

“Elas parecem de certa forma estar prontas para o combate”, explica Smith. Isso pode estar relacionado com uma camada cerosa de odores que as formigas exalam chamada de hidrocarbonetos cuticulares. Quando Smith colheu amostras desses odores da F. archboldi, ele verificou que eles correspondiam de modo expressivo com os da espécie de formigas-de-estalo com as quais convivem.

É como se o leão evoluísse para ter o cheiro de uma zebra ou se uma cascavel exalasse o cheiro de um rato-do-campo, por exemplo.

O propósito disso seria para que as F. archboldi tenham evoluído para se disfarçarem como formigas-de-estalo e atacá-las com maior facilidade. “No entanto não tenho evidência nenhuma disso”, afirma Smith. “É pura especulação. Isso só mostra que, quanto mais se sabe sobre a natureza, mais perguntas se tem”, finaliza.

Fonte

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFilha herda dívidas de empréstimo realizado pelo pai
Próximo artigoProfissão dog walker: recém formado está em busca de clientes