Fiemt apoia escolha pelo BRT

Presidente Gustavo de Oliveira citou menor poluição - sonora e atmosférica -, custo e a possibilidade de expandir projeto original

Gustavo Oliveira, presidente da Fiemt (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), Gustavo de Oliveira divulgou vídeo na rede social Instagram manifestando apoio à decisão do governador Mauro Mendes (DEM) de substituir o projeto do VLT (Veículo Leve Sob Trilhos) pelo BRT (Bus Rapid Transit).

“Quero registrar meu total apoio a decisão do governo do Estado de propor um novo projeto de mobilidade urbana para a grande Cuiabá”, disse.

Gustavo de Oliveira foi secretário de Assuntos Estratégicos e, posteriormente, Secretário de Estado de Fazenda na gestão do ex-governador Pedro Taques. Na época, chegou a conduzir estudos a respeito da viabilidade do VLT para circular nos trechos de Cuiabá e Várzea Grande. Porém, o projeto não avançou.

Na avaliação a respeito da decisão do Estado em adotar o BRT, Gustavo de Oliveira diz que o modal de transporte será benéfico aos empresários e usuários do transporte coletivo.

“Quero lembrar a vocês empresários que o vale transporte é um custo importante na composição dos preços e o projeto adotado propõe uma tarifa ao usuário muito menor do que seria a tarifa do VLT”.

LEIA TAMBÉM

“É uma solução já adotada em diversas cidades do mundo e com sucesso. Aqui vai ser 100% elétrico. Serão ônibus que não vão causar poluição atmosférica no seu funcionamento e baixíssimo nível de ruído. Isso vai trazer muito conforto ao usuário e um impacto muito menor na cidade”.

Outro item considerada vantajoso pelo presidente da Fiemt é que o projeto do BRT pode ser expandido para além do que prevê o projeto original.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPinheiro diz que governo “isolou” decisão sobre VLT e vê “retrocesso”
Próximo artigoVerba indenizatória