Fernanda Montenegro rebate Glenn Close e diz que daria o Oscar de 1999 para Cate Blanchett

A atriz aproveitou sua participação no programa Conversa com Bial nessa sexta-feira (27) para esclarecer a polêmica do Oscar de 1999

A atriz Fernanda Montenegro respondeu os comentários feitos essa semana pela atriz americana Glenn Close exaltando o trabalho e lamentando que a atriz brasileira não tenha vencido o Oscar em 1999 por sua atuação no clássico “Central do Brasil” (1998). A premiação no ano acabou ficando com a atriz Gwyneth Paltrow por “Shakespeare Apaixonado” (1998).

Assine SKY e garanta o melhor conteúdo em filmes e séries para você e sua família.

A atriz que completou em outubro 91 anos aproveitou sua participação no programa Conversa com Bial nessa sexta-feira (27) para esclarecer as coisas em relação a esta polêmica recentemente reavivada: “É uma avaliação dela. Eu teria dado o prêmio para a [Cate] Blanchett, porque ela fez dois papeis de Elizabeth naquele ano extraordinários. Não foi um filme, foram dois, de uma forma maravilhosa”.

(Foto: Reprodução/The Academy)

Ela ainda completa dizendo que “Não é que meu trabalho não seja respeitado. Não é isso, mas eu teria votado na Blanchett”.

Além de Fernanda Montenegro e Cate Blanchett, a acirrada disputa daquele ano também contava com as presenças de Meryl Streep (por “Um Amor Verdadeiro”) e Emily Watson (“Hilary e Jackie”). Blanchett, a favorita de Fernanda, concorria pelo filme “Elizabeth” (1998) e venceu o Globo de Ouro e o BAFTA daquele ano pelo papel, mas não conseguiu levar o Oscar, a maior premiação do cinema mundial.

Através da SKY TV, você pode acompanhar clássicos com exclusividade.

Na trama de Central do Brasil, Dora (Fernanda Montenegro) trabalha escrevendo cartas para analfabetos na estação Central do Brasil, no centro da cidade do Rio de Janeiro. Ainda que a escrivã não envie todas as cartas que escreve – as cartas que considera inúteis ou fantasiosas demais -, ela decide ajudar um menino (Vinícius de Oliveira), após sua mãe ser atropelada, a tentar encontrar o pai que nunca conheceu, no interior do Nordeste.

O filme dirigido por Walter Salles com roteiros de Marcos Bernstein e João Emanuel Carneiro foi um dos maiores sucessos do cinema nacional, levando o cinema brasileiro ao mundo e servindo de inspiração para uma leva de filmes que seguiriam seu caminho de sucesso.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEric Clapton e Van Morrison anunciam música contra o lockdown
Próximo artigoArcebispo emérito Dom Bonifácio morre aos 91 anos em Cuiabá