Feminicida é condenado a mais de 20 anos de prisão

Crime aconteceu em uma via pública da cidade quando a vítima saiu para trabalhar

Alecino Anunciação de Santana foi condenado a 21 anos de prisão pela morte da ex-companheira dele, Domingas Cecília da Silva Oliveira. A mulher foi morta em 19 de dezembro, em Cuiabá.

Na sentença, a juíza Monica Catarina Perri Siqueira, lembrou que os fatos apontam para a premeditação, frieza e malvadeza com que o réu cometeu o crime. “As filmagens das câmeras de monitoramento instaladas nas proximidades do local do delito são reveladoras quanto à dinâmica do fato/crime, notadamente a violência e premeditação empregada na execução do homicídio“, destacou.

A magistrada reforçou que Alecino chegou à casa de Domingas, uma quitinete, por volta das 4h27 da manhã. O homem então prendeu a bicicleta no portão da casa vizinha e ficou ali, de espreita, por 45 minutos. O comportamento chamou a atenção de um vizinho que questionou a presença do réu ali e pediu que ele se retirasse.

“Embora tenha deixado à residência da vítima, Alecino não desistiu do seu propósito de matá-la. Para tanto, permaneceu nas proximidades da quitinete, em local em que sabidamente a vítima passaria para ir ao trabalho”, destacou a sentença.

Quando Alecino viu Domingas se aproximando, jogou a bicicleta contra a vítima e a agrediu. Primeiro enforcou a mulher e depois, quando ela estava no chão, desferiu vários chutes em seu rosto e a golpeou a facadas no pescoço. Siqueira define que as ações do réu demonstraram “crueldade e covardia”.

Horas depois do crime, a Polícia Judiciária Civil localizou o homem o prendeu em sua residência.

A construção da sentença

A juíza pontuou que o motivo do crime foi torpe, consistindo no sentimento de posse que o réu tinha pela ex-companheira, que foi morta devido a sua condição de sexo feminino.

Além disso, no ataque, cometido através de uma emboscada, não teve como Domingas se defender.

Portanto, no cálculo da sentença foi obtido o resultado de 21 anos de reclusão. Ou seja, o réu continuará preso. Caso haja interesse, Alecino pode recorrer da decisão. O julgamento foi realizado na quinta-feira (30).

LEIA TAMBÉM

Justiça mantém prisão de homem que matou ex-esposa em via pública em Cuiabá

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNão é pauta escolar
Próximo artigo30 milhões de brasileiros: você conhece todos os tipos de vegetarianos?