“Feiticeiro” que fazia crianças mandarem fotos e vídeos nuas tem imagem revelada pela Polícia

O homem já foi preso três vezes anteriores e está com mandado de prisão preventiva decretada pela Justiça

Foto: Divulgação/PJC

O “Maníaco do telefone” já tem uma identidade. A fotografia do homem, que é suspeito de ameaçar menores de idade para que enviassem fotos e vídeos íntimos, foi divulgada nesta sexta-feira (30) pela Polícia Civil. As investigações são comendadas pelas Delegacias de Defesa da Criança e Adolescente em conjunto com a Gerência de Combate aos Crimes de Alta Tecnologia (Gecat).

De acordo com a polícia, o suspeito é identificado como Edinei Honorato Lopes, de 36 anos. O homem, conhecido como “Maníaco do telefone” ou “Mosquito”, já foi preso três vezes anteriores e está com mandado de prisão preventiva decretada pela Justiça desde março de 2018.

Conforme o LIVRE divulgou, a Polícia Civil percebeu a semelhança em ao menos dez boletins de ocorrência, registrados em Cuiabá e em cidades do interior de Mato Grosso, envolvendo a ameaças a menores.

Segundo as investigações, o suspeito entra em contato com vítimas do sexo feminino por meio de aplicativo de mensagens (whatsapp) afirmando que foi contratado para fazer um trabalho espiritual contra a criança ou adolescente. O objetivo do “trabalho” seria fazer a vítima ficar paraplégica e perder todo o cabelo. O investigado então declara que se a menor enviar fotos e vídeos íntimos não fará o feitiço.

Em Várzea Grande, o delegado da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança e Idoso, Claudio Álvares de Sant’anna, afirma que já foram identificados 10 casos desse tipo de ação no município. Também foram registrados casos similares em outros locais da Baixada Cuiabana e em cidades do interior mato-grossense.

O suspeito foi preso pela primeira vez em outubro de 2013, em ação da Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica), quando fez cerca de 40 vítimas, agindo da mesma maneira, fazendo ameaças enviadas através de mensagens no aparelho celular. Colocado em liberdade condicional com uso de tornozeleira eletrônica, o suspeito voltou a ser preso em junho de 2015, após ser flagrado com celulares com fotos de vítimas, menores de idade.

Denúncias

A divulgação da fotografia e identidade de Edinei visa auxiliar na prisão do suspeito que responderá, a princípio, pelos crimes de constrangimento ilegal e ainda por “receber e ter armazenado fotos e vídeos de criança e adolescentes em situação de nudez”, previsto no Estatuto da Criança e Adolescente (ECA).

“As vítimas ainda estão sendo ouvidas e diante dos depoimentos podem surgir outros crimes. Com a divulgação da identidade do suspeito, acreditamos que outras devem procurar a delegacia”, disse o delegado.

Denúncias sobre que possam levar a localização do suspeito podem ser realizadas através dos números 197 ou 3685-1236.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBolsonaro diz que não fará acordos que prejudiquem agronegócio
Próximo artigoMPT quer acordo para fiscalizar trabalho infantil na produção de cacau