Fazendas de chefe do tráfico internacional vão a leilão em MT

As duas propriedades pertenciam a Luiz Carlos da Rocha, um dos maiores traficantes da América Latina

A Justiça Federal de Curitiba vai leiloar duas fazendas que pertenciam a um dos maiores traficantes da América Latina: Luiz Carlos da Rocha, o “Cabeça Branca”. As propriedades ficam entre as cidades de Marcelândia e Nova Santa Helena, ambas localizadas a mais de 600 km de Cuiabá (MT).

De acordo com o processo, ambas as fazendas foram objeto de sequestro judicial durante a Operação Spectrum, que desarticulou organização criminosa transnacional especializada em tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro.

Os indícios eram de que as propriedades seriam patrimônio oculto do líder da organização investigada.

Juntas, as Fazendas Pôr do Sol III e a Jupinda II, estão avaliadas em mais de R$ 8,7 milhões. Elas teriam sido adquiridas por meio do crime de lavagem de dinheiro.

Foto: Topo Leilões

De acordo com os autos, a Fazenda Pôr do Sol III, de 596,4 hectares, estaria “completamente improdutiva e abandonada”. A exceção seria para uma área de 30 hectares onde haveria uma plantação de soja.

A lavoura, entretanto, pertenceria à Fazenda Paraíso e só estaria nas terras da Pôr do Sol III por um equivoco do arrendatário da outra propriedade, “que achou que tal área pertencia à Fazenda Paraíso e não à Fazenda Pôr do Sol”, diz trecho do processo.

De acordo com as investigações, trabalhadores de fazendas vizinhas informaram que antes da Operação Espectrum, em 2017, haviam plantações de milho na propriedade. Contudo, “cerca de três dias após a referida operação, tratores vieram e extraíram às pressas todo o milho que havia ali, deixando inclusive diversos equipamentos abandonados para trás”.

Foto: Topo Leilões

Já a Fazenda Jupinda II, de 620,5 hectares, também foi encontrada em situação de abandono.

O processo diz que “não existe nenhuma pessoa responsável pela área. Além disso, os policiais informaram que grande parte da fazenda é coberta por vegetação, aparentando ser de uma reserva ambiental”.

Leilão

As duas propriedades serão leiloadas pelo site Topo Leilões. Ambas com o primeiro leilão marcado para o dia 30 deste mês.

A Fazenda Pôr do Sol II começa com o lance inicial de R$ 7,5 milhões. Já a Fazenda Jupinga II vai custar, no mínimo, R$ 1,2 milhão.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno federal bloqueia mais R$ 1,44 bilhão do Orçamento
Próximo artigoJustiça condena jovem que simulou assalto para matar namorado da ex