Faturamento do mercado de franquias cresce 10% no Centro Oeste

Setor gerou cerca de 123 mil empregos diretos nos meses de julho, agosto e setembro na região

(Foto: Freepik)

O mercado de franquias manteve no 3º trimestre de 2021 sua trajetória de recuperação registrada nos trimestres anteriores, agora de forma mais estável e até superando levemente o desempenho do mesmo período de 2019. É o que mostra a Pesquisa Trimestral de Desempenho do Setor realizada pela ABF – Associação Brasileira de Franchising.

Segundo o estudo, feito em parceria com a empresa de pesquisas AGP, o faturamento no 3º trimestre de 2019 foi de R$ 47,203 bilhões, passando a marca de R$ 43,954 bilhões no ano passado.

A variação foi de -6,9% de 2019 para 2020 e de +7,8% para 2021. Do 3º trimestre de 2019 para o 3º de 2021, houve um crescimento de 0,4%.

Na região Centro-Oeste, o cenário é semelhante e aponta um crescimento de 10,7% no faturamento geral do setor, com mais de R$ 4,2 bilhões de receita. O dado é superior à variação do ano passado frente a 2019, que foi de -5%.

Do 3º trimestre de 2019 para o 3º de 2021, houve um crescimento de 5,6%. Já em número de unidades, o mercado da Região expandiu mais de 8,1%, com 14.925 operações.

Retomada da economia

As pesquisas da ABF e sondagens com redes de todo o País indicam que este movimento está muito ligado à gradual retomada da atividade econômica e da vida social, com o consumidor retomando hábitos até mesmo em áreas como alimentação fora do lar e turismo.

No 3º trimestre, já estava bem adiantada a agenda de liberação das restrições relativas à covid-19, inclusive com um retorno mais robusto das aulas presenciais. Os shoppings vêm registrando recuperação na movimentação de pessoas, assim como os aeroportos.

De outro lado, os canais digitais se mantêm aquecidos, principalmente no delivery, e temos uma convivência entre atividades e serviços online e presenciais, conforme o contexto de cada rede, cidade e mercado.

Para a diretora da Regional da ABF Centro-Oeste, Claudia Vobeto, o mercado de franquias da Região confirmou ser resiliente, forte e capaz de se adaptar rapidamente.

“Temos uma força no agronegócio, mas também no varejo e serviços. O sistema de franquias se adaptou ao cenário e as redes vêm retomando suas estratégias de expansão. De outro lado, investidores e profissionais vêm buscando opções de investimento e ocupação, por isso estamos percebendo o impacto positivo na economia nesse período”.

Em relação aos empregos, de acordo com a pesquisa, o setor no Centro-Oeste gerou cerca de 123 mil empregos diretos nos meses de julho, agosto e setembro. Isso representou um crescimento de 11,1% frente ao mesmo período do ano passado.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJanaina Riva se reúne com ministro do STF
Próximo artigoPrefeitura de Cuiabá tem 90 dias para corrigir contratações irregulares na Saúde