Famílias cuiabanas estão consumindo mais no início do ano, diz Fecomércio

Tendência é que o nível de maior gasto se mantenha estabilizado, mesmo com pequena retração no mercado de trabalho

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Famílias cuiabanas consumiram mais neste início de ano, mesmo com alguma retração no mercado de empregos. O resultado positivo levou a Federação do Comércio de Serviços, Bens e Turismo de Mato Grosso (Federação-MT) a ver tendência no aumento do consumo nos próximos meses. 

A pesquisa Intenção de Consumo das Famílias (ICF) em Cuiabá de fevereiro, apresentou alta de 0,7% em relação a janeiro e atingiu 73,5 pontos. Esse resultado também foi superior no comparativo com fevereiro de 2021, de 0,9%. 

“É possível observar, na pesquisa, uma evolução do poder de compra no curto prazo. O crescimento do índice de consumo atual dá sinais de um ambiente para compra mais estabilizado”, disse José Wenceslau Junior, presidente da Fecomércio. 

A melhora foi puxada pelas famílias que recebem acima de 10 salários-mínimos, com alta de 4,8% no mês, atingindo 102,1 pontos; enquanto as famílias que recebem abaixo disso permaneceram praticamente estáveis, com elevação de apenas 0,1% no período, registrando 70,4 pontos. 

Os componentes que contribuíram para elevação mensal são referentes ao nível de consumo atual, que apresentou crescimento de 2,6%; à renda atual, com alta de 2,3 %; e à aquisição de bens duráveis, de 2,2%. 

No entanto, o componente que avalia a situação do emprego atual apresentou retração mensal de 0,6% e atingiu 114,7 pontos, contra 115,4 pontos do mês anterior.  

Ainda assim, o resultado atual está 2,7% superior ao registrado em fevereiro de 2021. Dos 500 entrevistados na pesquisa, 13% deles disseram estar desempregados, contra 13,9% verificado em fevereiro de 2021. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTráfego de carros deve crescer 22% durante os dias de carnaval
Próximo artigoSamu ou Bombeiros? Quando chamar cada um deles?