Família organiza protesto pela reforma da Casa de Bem-Bem

Abandonada há mais de cinco anos, a tradicional Casa de Bem-Bem espera pela conclusão de infinitas reformas. O casarão deveria sediar as ações culturais e aulas de música gratuitas do Instituto Ciranda, desde 2012, mas, até hoje, o projeto de revitalização do local não saiu do papel devido a desentendimentos entre a prefeitura e empreiteira contratada. Cansada de esperar, a família Palma, antiga proprietária do local, está organizando um ‘abraçaço’ como protesto ao abandono. O ato será realizado às 17h desta quarta-feira (29).

Segundo Constança Palma Faria, a filha caçula de Bem Bem, a atitude foi tomada com o objetivo de chamar atenção da sociedade cuiabana e simboliza o carinho pelo imóvel – onde ela foi criada e viu toda sua família crescer. A família se preocupa com a estrutura da casa que, destelhada, está sendo deteriorada pela chuva e as paredes perigam cair.

“Nós entregamos uma casa inteira, hoje ela está caindo aos pedaços”, lamenta Constança, conhecida como Tatá.

Ednilson Aguiar/Olivre

Casa de Bem-Bem

Atual situação da Casa de Bem-Bem, localizada na Rua Barão de Melgaço.

Ela ainda conta que a repercussão sobre o caso, após a visita da reportagem do LIVRE ao local, no último dia 22, a família foi novamente chamada pela Secretaria de Cultura do Município, que prometeu a retorno das obras ainda nesta semana. Segundo ela, além do neto como representante da família, também estavam presentes na reunião o secretário Francisco Vuolo e o advogado da empreiteira X Nova Fronteira.

Ednilson Aguiar/Olivre

Casa de Bem-Bem

Reunião entre a Prefeitura de Cuiabá, Iphan-MT, família Palma e empreiteira, durante visita da reportagem no último dia 22.

Após a assinatura de um Termo de Condado entre a família e o Instituto Ciranda, a instituição juntou esforços com o arquiteto Rafael Dias para construir um projeto de captação de recursos para restauração da casa. Um ano depois, em 2013, esse projeto foi doado para a Prefeitura de Cuiabá para aprovação no programa PAC Cidades Históricas. O processo de licitação para eleger a empresa que cuidaria das obras foi realizado em 2016. Desde então, o investimento do Governo Federal é de R$ 2,15 milhões.

Localizada na Rua Barão de Melgaço, a Casa de Bem-Bem é famosa por já ter abrigado celebrações culturais e religiosas, como a tradicional Festa de São Benedito. Construída em 1850, foi tombada por portaria estadual em junho de 1998, e é considerada Patrimônio Histórico da União desde 1992.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEconomia com Teto de Gastos em 2018 não paga uma folha salarial
Próximo artigoFesta marca o início do Verão e abre alas para o Carnaval