Falta de educação: garis retiram cinco toneladas diárias de lixo do centro de Cuiabá

Material é jogado no chão sem nenhum constrangimento pelos próprios cidadãos

Marli Alves de Souza acredita que única solução é a aplicação de multa porque pessoas não têm educação (Foto: Suellen Pessetto/ O Livre)

Um copinho plástico, um canudinho, um pedacinho de papel e, no final do dia, 5 toneladas de lixo. Esta é a quantidade de resíduos retirada pelos varredores da área central da Capital mato-grossense todos os dias.

Dados da Secretaria de Serviços Urbanos de Cuiabá mostram ainda que a falta de educação das pessoas exige o esforço diário de 100 garis, divididos em 2 turnos.

Marli Alves de Souza, 60 anos, trabalha na Praça Ipiranga, no Centro, e assegura: enche o carrinho em cada uma das voltas que dá no entorno da área.

Ela relata que perdeu a esperança na educação das pessoas e acredita que apenas a aplicação de multas resolveria o problema.

“Eles jogam o lixo no lugar que eu acabei de limpar. Isso quando não jogam olhando para os meus olhos. Nem sequer respeitam as lixeiras”.

Os piores dias de trabalho, segundo a gari, são os que têm distribuição de jornais de uma das igrejas de entorno.

Gari diz que a distribuição de jornais aumenta o trabalho na Praça Ipiranga (Foto: Suellen Pessetto/ O Livre)

“As pessoas pegam o exemplar da mão do rapaz e jogam alguns metros depois. Se não vai ler, não precisa pegar. Eles também separam as folhas para sentar em cima e, quando vejo, o papel voa e fica por todo canto”.

Na lista de atrações que atrapalham muito o trabalho ainda está a reunião de um grupo de revendedora de produtos domésticos e a entrega de sopão para moradores de rua.

Restos de comida ficam por todo canto e a coleta e varreção acabam sendo dobradas devido à quantidade de resíduos.

Prefeitura

Secretário de Serviços Urbanos da Capital, José Roberto Stopa acredita que as pessoas precisam ter mais educação e entender a importância da destinação correta dos resíduos sólidos.

Ele afirma que a parte do governo é feita, com a instalação de lixeiras e investimento em coleta seletiva. Porém, o cidadão precisa ajudar.

Stopa não descarta a possibilidade de multar quem joga lixo no chão, mas defende que seja a última opção.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. E só criar uma lei estadual que prevê multa, infelizmente o brasileiro só aprende quando mexe no bolso, povo relaxado, aqui ensino minhas filhas a jogar lixo no lixo se não tiver lixo perto guarda e joga em casa.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorO Casamento Social 300 anos e o resgate do espírito familiar
Próximo artigoMega-Sena acumula e vai pagar R$ 26 milhões no sábado

O LIVRE ADS