“Falar que a hidroxicloroquina e a ivermectina matam é falácia”, diz presidente do CFM

O presidente do Conselho Federal de Medicina saiu em defesa do tratamento precoce contra o coronavírus

(Foto: reprodução)

O presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Mauro Ribeiro, saiu em defesa do tratamento precoce contra o coronavírus. O médico ainda criticou supostos efeitos negativos que foram ditos pela imprensa contra a hidroxicloroquina e ivermectina.

“Infelizmente, certos assuntos foram proibidos. Essa história de que está estabelecido na literatura que o tratamento precoce não tem efeito na fase inicial é mentira”, declarou, em entrevista ao Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan.

Ainda de acordo com o médico, já existem estudos que mostram os benefícios de tratar o coronavírus antes do avanço da doença.

“Há trabalhos que mostram os benefícios [da terapêutica] na fase inicial, e outros, não. Essa é a realidade. Temos a relação dos trabalhos”, acrescentou o especialista.

Por fim, o médico afirmou que o Conselho não incentiva o tratamento com cloroquina, mas também não proíbe o tratamento usando o medicamento. O médico ainda criticou as falácias que foram ditas contra alguns medicamentos.

“O CFM não incentiva o tratamento precoce ou o condena, tampouco bane”, afirmou. “Falar que a hidroxicloroquina e a ivermectina matam é falácia. Quem quer fazer o tratamento precoce, que faça. Quem não quiser, não faça”, concluiu o médico.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorRejuvenescimento da pandemia: Fiocruz diz que casos entre jovens aumentaram
Próximo artigoPrefeito fecha escolas e diminui expediente público em Várzea Grande