Fabio Garcia reage a Julio Campos: “Fui convidado por ACM e Maia para ser presidente do DEM”

Deputado federal assumiu presidência do partido em articulação nacional que acomodou dissidentes do PSB

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O deputado federal Fabio Garcia reagiu à pretensão do ex-governador Julio Campos de se tornar presidente do DEM em Mato Grosso. De quebra, ele sinalizou que não pretende sair da presidência do partido, função que exerce desde março deste ano. Ele destacou ainda que chegou ao cargo pelas mãos do presidente nacional do partido, ACM Neto, e pelo presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia.

“A missão que me foi dada pelo presidente ACM Neto e pelo Rodrigo Maia é de fortalecer, renovar e reoxigenar o DEM em todo o estado. Temos muito trabalho ainda a fazer e conto com o respaldo integral deles e do Mauro Mendes para tanto. Junto de todos os companheiros do DEM iremos cumprir essa missão como sempre fiz na minha vida, com muito trabalho, diálogo, humildade e respeito às pessoas”, declarou, por meio da assessoria.

[featured_paragraph]Fabio destacou o crescimento da sigla na sua gestão. Ele lembrou ainda que está na direção do partido como resultado de uma articulação nacional, pela qual a sigla recebeu diversos dissidentes do PSB e dissolveu todos os diretórios para acomodar os novos filiados.[/featured_paragraph]

“Eu fui convidado pelo presidente nacional do DEM, ACM Neto, e pelo presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, para presidir o partido no estado em um movimento nacional de renovação e fortalecimento da sigla. Nosso trabalho já começa a dar resultado. Na primeira eleição depois que assumimos o DEM, elegemos o governador do estado, um senador e dois deputados estaduais, um grande feito ao partido. Inclusive sacrifiquei a minha candidatura à reeleição, a pedido do partido, e fui ajudar na eleição de Mauro e Jayme”, afirmou o parlamentar.

Nas eleições deste ano, o DEM elegeu o governador, Mauro Mendes, um senador, Jayme Campos, e reelegeu dois deputados estaduais, Eduardo Botelho e Dilmar Dal’Bosco. Mauro Savi não conseguiu se reeleger. A sigla perdeu também o único deputado federal, que era o próprio Fabio Garcia, que concorreu como suplente de Jayme.

Além de Fabio, Mendes, Savi e Botelho também se filiaram ao partido como parte do grupo de dissidentes do PSB – embora politicamente Botelho seja mais próximo da família Campos do que dos antigos filiados ao PSB.

Desde a chegada dos dissidentes, o DEM de Mato Grosso tem apenas comissões provisórias. O plano de Júlio, caso consiga retornar à presidência do partido, é reestruturar o DEM e montar diretórios nos 141 municípios, para depois fazer uma eleição do diretório estadual.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Sou totalmente favorável a volta dos Campos a Presidência Estadual do DEM, até porque presidência der qualquer entidade não é vitalícia, as mudanças fazem parte do jogo, principalmente tratando-se de política. Que venha Júlio Campos a ser o novo Presidente da sigla que está sem mandato, enquanto o Fábio é suplente de senador, que está previsto a ocupar um cargo no governo de Mauro Mendes e não dispor de tempo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTigresa assassina que matou 13 pessoas é abatida na Índia
Próximo artigoColetivo Quariterê divulga filmes selecionados para Mostra de Cinema Negro de MT