Fabio Garcia avisa que DEM não será coadjuvante nas eleições

Deputado defende retorno de Mauro Mendes à disputa eleitoral

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O novo presidente do DEM em Mato Grosso, o deputado federal Fabio Garcia, afirmou que a sigla está montando um grupo forte que não poderá ser ignorado nas eleições deste ano e, com isso, a intenção é que o partido participe com candidatura na chapa majoritária. Os principais nomes para isso são do ex-senador Jayme Campos e do ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes, ambos cotados para concorrer ao governo e ao Senado.

“Com o time que montou, o DEM não será coadjuvante. Estará na chapa majoritária”, prometeu Garcia. A sigla, que até o ano passado tinha apenas um deputado estadual, Dilmar Dal’Bosco, inchou com a dissidência do PSB. A seis meses das eleições de 2018, o partido tem três deputados estaduais e um federal. Sem mandato, tem líderes como o ex-prefeito Mauro Mendes, que se soma aos irmãos Júlio e Jayme Campos.

Garcia, que é um dos principais aliados de Mendes, defende que o padrinho político volte à disputa eleitoral. O ex-prefeito, porém, ainda não informou aos aliados se pretende ou não concorrer neste ano. Ele prometeu tomar uma decisão neste mês – e sinalizou que a única possibilidade de voltar à vida pública é concorrendo a um cargo no Poder Executivo.

“Existe uma expectativa grande sobre a posição do Mauro porque ele fez uma bela administração em Cuiabá. Mas primeiro ele precisa decidir”, observou Garcia.

O deputado, que deve disputar a reeleição para a Câmara Federal, informou que, para a disputa na Assembleia Legislativa, a ideia é montar uma chapa que tenha condições de sobreviver sozinha. O partido, porém, não descarta fazer uma coligação conforme o avanço do processo eleitoral.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCuiabano faz sucesso no Youtube com vídeos de drift no Japão
Próximo artigoA partir desta terça, governador está proibido de conceder aumento aos servidores

O LIVRE ADS