Expulsa de casa por causa de sua orientação sexual, jovem recebeu R$ 900 mil em doações e gastou tudo em carro de luxo

Uma história com reviravoltas surpreendentes

Por mais que muitas pessoas doem seu suado dinheiro em vaquinhas virtuais acreditando que os beneficiados farão bom uso do dinheiro, eles são totalmente livre para fazerem o que quiserem.

Muita gente, portanto, ficou decepcionada com as escolhas da italiana de 22 anos, Malika Chalhy, que comoveu a internet ao contar sua história. Depois de assumir sua homossexualidade, a mulher foi expulsa de casa e não tinha onde morar.

A briga com a mãe foi feia a ponto da mulher escrever que preferia “50 anos de prisão do que uma filha lésbica”. Com a repercussão midiática, a jovem conseguiu a ajuda das pessoas através da internet.

Segundo informações do Clarín, a primeira arrecadação para a italiana chegou a mais de US$ 170 mil e a segunda (aproximadamente R$ 900 mil). O dinheiro deveria ser destinado à compra de uma casa, mas ao que tudo indica não foi isso o que a jovem fez.

A jovem recebeu o dinheiro e começou a gastá-lo com superficialidades como um carro de luxo. Postando essas novidades nas redes sociais, seus seguidores começaram a perguntar se o carro era dela. Em primeiro momento, ela mentiu, mas depois afirmou que se tratava de um carro seu. Um mimo que ela se permitiu depois de tantos traumas.

Malika logo depois tentou se defender afirmando que não está gastando o dinheiro com besteiras. Ela também usa para pagar os honorários do advogado, psicólogo, dentista, pagar o aluguel e mobiliar sua casa, além de destinar uma parte para a caridade.

A mulher pediu desculpas a quem ela possa ter desapontado e espera que um erro não acabe a condenando para sempre com aqueles que a ajudaram antes.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrefeitura suspende leilão de carros apreendidos
Próximo artigoNão vacile