Exposição reforça a importância da presença dos pais na criação dos filhos

Mostra de fotografias que celebra o Dia dos Pais fica em cartaz até o dia 31 de agosto

Foto de Felipe Ponce

Dar banho, trocar fraldas, administrar birras, impor limites e educar são temas muito debatidos pelas mães na internet, que tem uma rede consolidada de apoio e troca de experiências, quando se trata de filhos. Para “desbravar” esse universo, do qual os pais também fazem parte, a exposição “Pai que Cria” foi aberta nesta terça-feira (07/08), no Goiabeiras Shopping, simultaneamente ao lançamento do site de mesmo nome, do publicitário Rafael Milon.

Com o objetivo de incentivar a participação dos pais na rotina e criação dos filhos, Milon, pai de duas meninas, elaborou o projeto do site para mostrar que “pai não ajuda”, pai cria. Ele pretende, ainda, ministrar cursos para pais de primeira viagem e realizar rodas de conversas gratuitas com pais.

“O pai precisa ser protagonista na vida dos filhos. É uma satisfação saber que famílias estão sendo atingidas por essa mudança dos pais que já conhecem o site. Quero poder ajudar outras pessoas com os mesmos desafios, falando sobre educação positiva, apresentando soluções, melhorando a convivência e comunicação dos pais com os filhos, por meio da informação”, diz ele, que só conheceu o pai aos 23 anos e por essa razão se esforça para ser um excelente pai para suas filhas.

O fisioterapeuta Alexandre Alves, 29 anos, está entre os pais que começaram a seguir as dicas do Instagram e tem percebido mudanças positivas no convívio familiar. “Temos dois filhos, um de 2 meses e uma de 2 anos, e todo o processo é um aprendizado que acontece na raça mesmo. Quando minha filha nasceu, porém, fiquei mais inseguro por ser menina, e não estive tão próximo. Com o projeto do Rafael comecei a observar a relação dele com as filhas e me espelhei nele. Isso trouxe mais alegria e união para a nossa família”, destaca.

Para o jornalista Luiz Patroni, o projeto ajudará a conscientizar outros pais que não têm essa participação na criação dos filhos, por vários motivos, e até quem faz sua parte. “Desde que soube do projeto achei sensacional. Nós, pais, não temos muitas referências. E tudo muda desde a descoberta da gravidez. Adquirimos uma carga de responsabilidade grande, passamos a ter medo do que antes não tinha, como uma quina de mesa, por exemplo, a ter medo de faltar em algum momento e também entendemos o significado da palavra amor”, diz ele, que sempre teve uma relação intensa com a filha.

Transição

Os pais de agora estão num processo de transição, afirma a psicóloga Dulce Figueiredo, já que poucos tiveram um pai que cria. “Por isso as mães precisam ter paciência, pois é uma adaptação. Eles estão aprendendo, mas não tiveram referência. Acredito que com o site vamos ter um movimento de identificação com opiniões, experiências e possibilidades de resolução de conflitos que envolvem o nascimento e educação de uma criança. Esses homens vão se sentir mais encorajados a experimentar as ferramentas apresentadas pelo Rafael e que vêm da psicologia. Nós temos que organizar a sociedade a partir das nossas famílias, pela forma de cuidar dos filhos e construir valores”, avalia.

A mostra reúne registros da família de Rafael Milon em seu cotidiano, feitos pela fotógrafa Emanuelle Rigoni e pode ser visitada no Goiabeiras até o dia 31 de agosto. Para conferir o conteúdo do site acesse: paiquecria.com.br e o Instagram @paiquecria.

Confira as fotos do lançamento da exposição:

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCriador do “LamborgUno” realiza o sonho de andar em uma Lamborghini
Próximo artigoSecretário diz que deputados deveriam pedir voto ao invés de abrir CPI dos Grampos