“Experiências”: exposição fotográfica exibe autorrepresentação feminina ao Cine Teatro

Exposição que retrata sentimentos materializados estreia nesta sexta-feira, às 19h

(Foto: Mariana Ramalho)

Autorrepresentação com sentimentos materializados. Foi essa a ideia inicial da jovem Mariana Ramalho, de 23 anos, que impulsionou a produção da mostra fotográfica “Experiências”. A abertura será nesta sexta-feira (16), no Cine Teatro Cuiabá, às 19h. A exposição, porém, segue até o dia 25, com entrada gratuita.

Mariana cursa o segundo ano da faculdade de Arte e Design, em Bragança, Portugal. Foi lá, na cidade portuguesa, que a exposição nasceu. Como resultado, ela exibe fotografias de pessoas que fazem parte de sua intimidade, com um toque de manifesto.

A primeira imagem da exposição foi feita em março de 2019, ainda em Portugal. Já a última foi tirada em Cuiabá, quando a universitária retornou ao Brasil, em julho, para férias.

Ao todo, cerca de dez mulheres participaram do ensaio. No Cine Teatro, 17 fotos serão expostas. Nas fotografias, as mulheres estão com pouca ou nenhuma roupa, e sem qualquer maquiagem. O objetivo, segundo a artista, é retratar o íntimo, da forma mais natural possível. Foi por esse mesmo motivo que escolheu captar as imagens em preto e branco.

Em uma parte do corpo elas expuseram, em uma palavra, um sentimento que representou algum momento de suas vidas. Conforme Mariana, a exposição traz, ao final, representações de angústia, amor, a relação com o corpo feminino, além de pressões sociais.

“Eu espero que ao verem a fotografia e lerem os relatos reflitam sobre aquelas situações retratadas. A arte, para cumprir seu objetivo, precisa tocar. Se minhas fotos tocarem alguma pessoa, elas já cumpriram seu objetivo”, disse.

Mariana Ramalho estuda Arte e Design em Bragança, cidade de Portugal (Foto: Arquivo Pessoal)

Inspiração no feminismo

A inspiração para o conceito surgiu com um movimento feminista que correu a internet. Mariana lembrou de imagens nas quais as pessoas expuseram, em cartazes, os motivos pelos quais precisam do feminismo.

Para ela, a relação dos sentimentos com o corpo feminino casou perfeitamente com o projeto.

“As pessoas têm a mania de achar que só elas sentem alguma coisa e mais ninguém. A exposição veio para isso, para mostrar que outras pessoas enfrentaram o mesmo que você, que você não está sozinho e tem suporte”, explicou.

Para a artista, um dos pontos mais interessantes ao montar a exposição foi o contraste nas experiências relatadas entre as jovens de Portugal e no Brasil. “A gente pode ver, através das palavras, a diferença cultural”, comentou.

Mariana destacou que, no país europeu, as jovens escolheram palavras mais carregadas, como “sem esperanças” e “medo”. Já no Brasil surgiram palavras como “redescobrir” e “conexão”.

Imagem compõe exposição “Experiências”, no Cine Teatro (Foto: Mariana Ramalho)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorConselheiro autoriza edital para licitação do transporte público intermunicipal
Próximo artigoEvangélica sai de igreja para atender o celular e é estuprada

O LIVRE ADS