Expediente interno do MPE será retomado de forma presencial em 67 municípios

Entre os 67 municípios, estão inclusos Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis e Chapada dos Guimarães

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Unidades do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, localizadas em 67 municípios, iniciam nesta segunda-feira (24) a segunda etapa do Plano de Retomada do Trabalho Presencial (PRTP). São cidades que apresentam classificação de risco moderada de contaminação pelo Novo Coronavírus, de acordo com a atualização da Secretaria de Estado de Saúde.

Nessas unidades, conforme o PRTP, as atividades desenvolvidas pelo público interno serão de forma presencial em sistema de rodízio (50% da capacidade), das 13h às 19h. Já o atendimento ao público externo continuará de forma remota. Entre os 67 municípios, estão inclusos Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis e Chapada dos Guimarães.

De acordo com o Ato Administrativo 1.023/2021, o Plano de Retomada do Trabalho Presencial é dividido em cinco etapas, de acordo com a classificação de risco do município em que está localizada a unidade do MPMT e sua evolução.

A primeira etapa estabelece que todas as unidades de municípios cuja classificação de risco epidemiológico seja “Alto” ou “Muito Alto” devem permanecer fechadas, com regime de trabalho remoto obrigatório e condições de acesso restritas.

A segunda etapa indica que as unidades localizadas em municípios cuja classificação de risco epidemiológico seja “Baixo” ou “Moderado” por duas semanas subsequentes retomarão, a partir da terceira semana, o trabalho presencial em forma de rodízio e em horário reduzido, assim como poderão ser acessadas, via de regra, somente pelos usuários internos.

A terceira etapa determina que as unidades que se mantiverem na segunda etapa por duas semanas subsequentes, a partir da terceira semana do início da segunda etapa (quinta semana subsequente com risco “Baixo” ou “Moderado”), terão as condições de acesso ampliadas aos usuários externos, de forma parcial, mantendo-se o regime de trabalho da etapa anterior.

A quarta etapa define que as unidades que se mantiverem na terceira etapa por pelo menos duas semanas e estiverem localizadas em municípios cuja classificação de risco epidemiológico seja “Baixo” por duas semanas subsequentes, retomarão, a partir da terceira semana dessa classificação, o trabalho presencial em horário integral, com exceção do grupo de risco, mantendo-se o rodízio, e condições de acesso dos usuários externos ampliadas.

E a quinta etapa institui o retorno completo das atividades presenciais por determinação do procurador-geral de Justiça, com o fim da pandemia. Consta no ato administrativo que o agravamento da classificação de risco epidemiológico local interrompe imediatamente a evolução do PRTP na unidade, que retornará à etapa anterior, bem como que a etapa em que se encontrar cada unidade ministerial deverá constar em local visível à população e ser disponibilizada no portal do MPMT.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDia Livre de Impostos: campanha reflete insatisfação do consumidor
Próximo artigoNão consegue dar remédio para seu cachorro ou gato? Separamos 5 dicas