Ex-secretário Luiz Pôssas pede suspensão de ordem que o afastou do cargo

Luiz Pôssas afirma que investigação da Operação Overpriced errou na averiguação de contratos de compra de ivermectina

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

A defesa do ex-secretário de Saúde de Cuiabá, Luiz Antônio Carvalho de Pôssas, pediu a revogação da medida que o afastou do cargo com base na investigação sobre suposto superfaturamento na compra de medicamento do “kit-covid”. 

O advogado Francisco Faiad, que acompanha a petição, disse que a ordem de afastamento dada pela juíza da 7ª Vara, Ana Cristina Mendes, foi tomada com base em um erro dos investigadores da Operação Overpriced. 

A ação apontou preço acima do mercado para o remédio ivermectina, parte do kit-covid, em licitação homologada pela Secretaria de Saúde do município. 

Segundo Faiad, o erro estaria na identificação da quantidade de comprimidos comprados em processos diferentes e seus valores correspondentes. 

Na ordem de afastamento, a juíza Ana Cristina Mendes aponta que as investigações encontraram preços de R$ 11,90 e R$ 2,97 para a ivermectina nas compras emergenciais na pandemia, pela secretaria. 

Contudo, o primeiro valor corresponderia a uma caixa com quatro comprimidos e, o segundo, à unidade do comprimido. 

O LIVRE procurou o Ministério Público do Estado (MPE) e a Polícia Civil, responsáveis pela investigação da Operação Overpriced, e foi informado que as instituições não farão comentários sobre a investigação. O caso está sob sigilo judicial. 

O secretário pediu exoneração do cargo após a decisão que o afastou da chefia da Secretaria de Saúde. O pedido foi aceito pelo prefeito Emanuel Pinheiro.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPais podem opinar até sexta
Próximo artigoAção contra ex-presidente da Câmara de Cuiabá