Ex-secretário continua proibido de ter contato com Taques e retornar ao cargo de delegado

Ministro do STF negou pedido para retirar medidas cautelares impostas ao ex-secretário

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Supremo Tribunal Federal (STF) negou pedido do ex-secretário estadual de Segurança Pública Rogers Jarbas para retirar as medidas cautelares que o impede, entre várias coisas, de manter contato com o governador Pedro Taques (PSDB) e retornar ao cargo de delegado da Polícia Civil.

O pedido foi negado pelo ministro Luís Roberto Barroso e a decisão foi publicada no Diário da Justiça desta quinta-feira (6). “Em relação ao ora investigado, determino o seu comparecimento quinzenalmente ao Juízo da 9ª Vara Federal de Cuiabá/MT, oportunidade em que deverá informar e justificar as atividades desempenhadas no período”, conforme trecho da decisão do magistrado.

[related_news ids=”52528,122074″][/related_news]

Jarbas chegou a ser preso em decorrência da “Operação Esdras”, acusado de suposta obstrução de Justiça no escândalo dos grampos telefônicos, conhecido como “Grampolândia Pantaneira”. Ele, contudo, foi solto e foram aplicadas as medidas cautelares.

Além do ex-secretário de Segurança Pública e do governador Pedro Taques, a Operação Esdras ainda contou com a investigação de várias pessoas ligadas ao atual governo.

Também foram investigados, e alguns até presos, o ex-secretário da Casa Civil e primo do governador, Paulo Taques; major Michel Ferronato; o ex-chefe da Casa Militar Evandro Lesco; o então adjunto da Casa Militar Ronelson Barros; a esposa de Lesco, Hellen Lesco; o ex-secretário de Justiça e Direitos Humanos Airton Siqueira; o ex-comandante da Polícia Militar coronel Zaqueu Barbosa; o coronel Januário Batista e o cabo Gérson Correa Júnior.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPor unanimidade, ABL reelege presidente para 2019
Próximo artigoBeloto volta à saúde municipal

O LIVRE ADS