Ex-prefeito Roberto França recebeu R$ 1,5 milhão, diz Silval

Secom MT

Roberto França, Blairo Maggi e Carlos Brito

O ex-governador Blairo Maggi (PP) e Roberto França se reúnem à época em que ele era prefeito de Cuiabá

De acordo com o ex-governador Silval da Cunha Barbosa (PMDB), o ex-prefeito de Cuiabá Roberto França Auad recebeu R$ 1,5 milhão em propinas da extinta Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa). O valor teria sido pago com dinheiro da Agrimat Engenharia Indústria e Comércio Ltda, responsável pelas obras de duplicação das avenidas Mário Andreazza e Estrada da Guarita.

A informação consta no acordo de colaboração premiada fechado pelo ex-governador com a Procuradoria-Geral da República (PGR), em Brasília. Silval entregou crimes na gestão pública de Mato Grosso entre 2006 e 2014, desde o governo do atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), até o fim de seu mandato.

Roberto França recebeu o dinheiro à época de sua saída da diretoria da Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo (Agecopa), que se transformou em Secopa, sob a gestão de Eder Moraes.

Eder teria combinado o repasse de R$ 4 milhões ao ex-prefeito em “retornos” de obras da secretaria, tendo emitido notas promissórias neste valor. Depois de receber R$ 1,5 milhão da dívida, o pagamento do restante do valor, R$ 2,5 milhões, ficou sob responsabilidade do ex-deputado José Geraldo Riva.

De acordo com Silval, José Riva quitou parte da dívida com Roberto França entregando um apartamento e ficou com as notas promissórias. O ex-governador disse ter se negado a pagar as notas a Riva, pois não teria combinado isto anteriormente. Silval diz não saber qual foi a solução encontrada por Riva e por Roberto França para a dívida.

O ex-prefeito, que atualmente apresenta o programa Resumo do Dia, emitiu uma nota negando o recebimento de quaisquer valores indevidos.

Nota do ex-prefeito Roberto França
“É de conhecimento geral da população que durante os cinquenta anos da minha vida pública, como vereador, deputado estadual, federal e duas vezes prefeito não cometi nenhum ato de corrupção e sempre cumpri com dignidade e honestidade os mandatos que o povo me concedeu. Tenho um passado limpo e construí a minha imagem com muito trabalho e nunca estive envolvido em nenhum escândalo. Após ter interrompido minha vida pública passei a dedicar-me ao Programa Resumo do Dia.

A população que assiste ao programa é testemunha que critiquei e cobrei publicamente o ex-governador e seu secretário de comunicação Carlos Rayel, que autorizaram várias inserções em meu programa e na TV Rondon onde eu trabalhava, sem entretanto cumprir com a obrigação de liquidar esse débito e nos dando um calote e não pagando a publicidade e propaganda feita durante mais de seis meses de divulgações das obras da Copa e das ações do Governo.

Essa foi a cobrança que fiz – e de forma pública e transparente no ar, ao ex-governador referente aos pedidos de inserções, que é o documento onde o Estado através da agências de publicidade solicita a veiculação de publicidade, que somadas todas as autorizações somam R$ 830.000,00 e que não foram quitados. Se alguém recebeu R$ 1.500,000,00 esse alguém não fui eu e nem a TV Rondon, pois além de nem pagar os R$ 830.000,00 que tínhamos direito, pois cumprimos a nossa parte divulgando as matérias do governo durante todo esse período.

A denúncia é vazia e inconsistente, pois se o débito era de R$ 830.000,00 como é que pagaram R$ 1.500,000,00 nem sabe qual a empresa que pagou. Além de não receber, a TV ainda tive prejuízo pois foram emitidas e pagas notas fiscais. Querem envolver o meu nome, por rancor, ódio e vingança, pelo fato do Programa Resumo Do Dia ter divulgado os atos de corrupção do governo, atos esses confessados por ele mesmo. O ex-governador quer jogar todos na vala comum, mas acredito que a justiça saberá separar o joio do trigo.

Continuarei agindo no programa com a mesma liberdade e independência, não vamos mudar a nossa linha de atuação e vamos manter a mesma credibilidade e postura, pois quem não deve não teme. Coloco-me à disposição da justiça para o esclarecer quando ela determinar todos esses fatos lamentáveis que procuram desgastar a minha imagem”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Ejaculador” detido pela polícia pede psiquiatra, diz delegado
Próximo artigoFlagrados em vídeo por Silval podem se recuperar? Especialistas avaliam