Ex-deputado vira réu por nomear doméstica em cargo na ALMT

Eliene Lima nomeou mulher para cargo comissionado e exigia devolução de metade do salário

(Foto: Reprodução)

Ex-deputado estadual e federal Eliene Lima tornou-se réu por improbidade administrativa. A suspeita é que ele tenha nomeado uma mulher para exercer cargo comissionado na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, mas que, na verdade, prestava serviços de funcionária doméstica em sua residência.

A decisão da juíza da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Popular, Célia Regina Vidotti, foi proferida nesta quarta-feira (14) nos autos de uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Na denúncia, é narrado que a mulher ainda havia se comprometido a devolver partes do salário ao então deputado estadual, no esquema conhecido como “rachadinha”.

As práticas ilícitas teriam ocorrido entre 2009 e 2012 e gerado um prejuízo de R$ 214 mil aos cofres públicos.

Pelo mesmo motivo, Eliene Lima já foi condenado na esfera penal, em sentença de primeiro grau pelo crime de peculato. 

Ao receber a denúncia, a magistrada rejeitou pedidos preliminares da defesa de violação ao direito de ampla defesa e contraditório em inquérito civil conduzido pelo Ministério Público e também de prescrição, que seria a perda do objeto da denúncia em razão do transcorrer do tempo.

“Assim, considerando que os argumentos do requerido e os documentos apresentados não são suficientes para autorizar a rejeição liminar da inicial e, existindo elementos suficientes para o prosseguimento da ação, o recebimento da petição inicial é medida que se impõe, possibilitando a instrução processual e análise acerca da existência ou não dos atos de improbidade administrativa atribuídos ao requerido”, diz um dos trechos da decisão.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSupremo sugere afastamento por 90 dias de senador flagrado com dinheiro nas nádegas
Próximo artigoDC Comics anuncia que nova Mulher-Maravilha será brasileira