Ex-BBB, Marcos Harter viola normas do Conselho de Medicina e pode responder sindicância

Caso ganhou repercussão nacional após publicações do médico terem irritado usuários de uma rede social

Marcos Harter não conseguiu se eleger em Mato Grosso (Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

De Sorriso (400 km de Cuiabá), o cirurgião plástico Marcos Harter, ex-candidato a deputado federal (PSC) e ex-Big Brother Brasil e A Fazenda, voltou a ganhar destaque nacional nesta quinta-feira (9).

Ele é acusado de ter violado as regras do Conselho Federal de Medicina que tratam sobre a concorrência desleal entre os profissionais.

Essa violação teria acontecido na terça-feira (7), quando o médico passou a publicar, em seu Instagram, propagandas com preços de procedimentos estéticos.

Conforme o Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT), a prática é vedada pela Resolução do CFM nº 2217/18.

O caso ganhou repercussão nacional após as publicações terem irritado usuários da rede social.

“F*, Conselho Federal de Medicina. Eu vou divulgar preço de cirurgia, sim, porque sou famoso”, escreveu um seguidor.

Já outros usuários da rede – em sua maioria mulheres – comentavam em apoio ao médico, pedindo que ele levasse os procedimentos, nos mesmos valores, para outras cidades do Brasil.

CRM investiga

Em nota, o CRM-MT informou que já tomou ciência do caso e que vai notificar o CRM de Santa Catarina. É que os procedimentos anunciados por Marcos seriam realizados em Florianópolis, onde ele passa férias.

O CRM-MT esclareceu ainda que, apesar de Marcos ser registrado em Mato Grosso, as violações às regras da profissão devem ser investigadas pelo Conselho de onde a infração aconteceu.

O órgão também lembrou que Marcos já responde a outros processos.

No ano passado, o LIVRE noticiou a abertura de uma sindicância contra o médico. A investigação foi motivada após ele publicar, na mesma rede social, uma foto na qual aparece comendo dentro do centro cirúrgico, durante um procedimento.

O resultado dessa apuração não foi divulgado pelo conselho regional.

Abaixo, confira a nota do CRM-MT na íntegra.

“NOTA À IMPRENSA

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Mato Grosso (CRM-MT), em virtude das notícias publicadas por veículos de comunicação de várias cidades do país, vem a publico esclarecer alguns fatos relacionados ao médico Marcos de Oliveira Harter.

O CRM-MT está atento às violações das regras estabelecidas pelo Conselho Federal de Medicina relacionadas ao profissional citado;

De acordo com a Resolução do CFM nº 2217/18 é vedado ao médico a prática de concorrência desleal; O exercício mercantilista da medicina; Permitir que sua participação na divulgação de assuntos médicos, em qualquer veículo de comunicação de massa, deixe de ter caráter exclusivamente de esclarecimento e educação da sociedade, e a divulgação de assunto médicos de forma sensacionalista, promocional ou de conteúdo inverídico;

Voltamos a ressaltar que o CRM-MT já instaurou procedimentos administrativos (Sindicâncias), e, inclusive, está em andamento Processos Ético-Profissional para apurar os eventuais desvios éticos do médico Marcos de Oliveira Harter.

Além disso, o Departamento Jurídico do CRM-MT notificará o Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina (Cremesc) para instaurar uma sindicância contra o profissional, pois apesar do médico ser inscrito no CRM de Mato Grosso o Código de Processo Ético-Profissional determina que essa apuração se dê no local onde o fato ocorreu.

O CRM-MT repudia de maneira veemente tais desrespeitos ao Código de Ética Médica e observa todos os aspectos atinentes à responsabilidade profissional. Zelamos pelo perfeito desempenho ético da Medicina, bem como pelo prestígio e bom conceito da profissão”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFérias para brincar em Cuiabá: criamos um guia com dicas para as crianças saírem da internet
Próximo artigoThe Witcher supera Stranger Things como a série da Netflix mais popular no mundo