Evergreen: o porta-contêineres gigante encalhado no Canal de Suez

Comércio mundial está sendo afetado pela obstrução da via, que pode durar semanas

(Foto: Reuters/Autoridades do Canal de Suez)

Seria cômico se não fosse trágico. E é as duas coisas no final das contas. O porta-contêineres gigante da Evergreen continua encalhado no Canal de Suez, bloqueando uma via fundamental por onde passam cerca de 12% de todo o comércio mundial.

A suspensão do tráfego pelo canal, que liga a Europa à Ásia já provocou a subida dos custos de transporte e o desvio de vários petroleiros. Os trabalhos de remoção poderão demorar vários dias ou até semanas, estimam os especialistas.

A via marítima histórica liga vários continentes desde o século 19 e é essencial para o transporte de petróleo procedente do Médio Oriente.

O porta-contêineres é do tamanho de um arranha-céu ou de quatro campos de futebol, com cerca de 400 metros de comprimento, 59 m de largura, 219 toneladas. Ele também tem capacidade para transportar 20 mil contêineres.

As autoridades egípcias já reabriram uma passagem antiga do canal para desviar algumas embarcações.

Bloqueio histórico

Este é um bloqueio sem precedentes nos últimos anos em uma das principais artérias econômicas do mundo, por onde passa cerca de 12% do comércio global. Pelo menos 150 navios que tentavam fazer a travessia entre a Ásia e a Europa estão impedidos de circular.

Os navios transportam desde petróleo a cimento, peças de automóveis, bens de consumo, como roupas e móveis. Pelo menos 30 petroleiros estão em ambos os lados do canal.

Como aconteceu?

O porta-contêineres tem o nome de Ever Given é é propriedade da empresa japonesa Shoei Kisen, mas é operado pela Evergreen Marine Corp, sediada em Taiwan. O navio saiu da China e era esperado em Roterdã, nos Países Baixos, na próxima terça-feira (30).

Ainda não se sabe ao certo o que provocou o incidente, mas o navio ficou encalhado depois de uma tempestade de areia na última terça-feira (23). No dia, os ventos fortes (rajadas de 30 nós, cerca de 56 quilômetros por hora) e pouca visibilidade podem ter contribuído para a situação.

Porém, ainda não há explicação de como encalhou, dado o enorme peso da embarcação, preparada para suportar rajadas de vento muito superiores.

(Foto: Reuters/Autoridades do Canal de Suez)

Este o segundo grande incidente que envolve o Evergreen. Em 2019, o navio bateu em um pequeno barco atracado no Rio Elba, na cidade de Hamburgo. À época, as autoridades explicaram que a colisão ocorreu devido a ventos fortes.

No momento em que encalhou no Canal de Suez, o navio era conduzido por dois representantes da autoridade do canal do Egito, Bernhard Schulte Shipmanagement. Essa empresa, responsável pela gestão do Evergreen, informou que a tripulação de 25 pessoas já está em terra e em segurança.

(Com Agência Brasil)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFilmes e séries: Veja o que chega em abril na Netflix
Próximo artigoMT recebe 340 cilindros de oxigênio