Estuprada há um ano, jovem volta a trabalho de acusado com faca para se vingar

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Uma jovem de 18 anos revolveu fazer justiça com as próprias mãos nessa sexta-feira (15). Afirmando ter sido estuprada há um ano em um hotel no centro de Sinop (500 km de Cuiabá), ela voltou ao local, onde o suposto abusador trabalha, com uma faca, para se vingar.

Abuso

O estupro teria acontecido em junho de 2019. A jovem teria saído de Sorriso (400 km de Cuiabá) para Sinop e se hospedou um dia no hotel. À época ela era menor de idade, mas conseguiu a hospedagem mesmo sem a autorização dos pais.

O primeiro dia ela pôde pagar. No segundo, ela rodou pela cidade tentando conseguir dinheiro e não conseguiu. Já tarde da noite, pediu ajuda para um funcionário do hotel, que a deixou dormir no quarto em que ele dormia.

Segundo a jovem, porém, após deitar-se o funcionário passou a ir com frequência no quarto e depois começou a beijá-la e acariciá-la. Ela disse ter pedido para parar, mas ele teria continuado até tentar a penetração.

Assim que amanheceu, ela foi embora à procura de ajuda. À época ela denunciou o suspeito.

Vingança

Nessa sexta-feira (15), a Polícia Militar foi acionada no hotel para uma situação de ameaça. Ao chegar no local, os militares encontraram a jovem com uma faca ameaçando o funcionário.

Questionada, ela contou que estava fazendo isso pelo que tinha acontecido no ano anterior, quando estava passando por um período difícil e foi estuprada.

O funcionário do hotel, por sua vez, disse que conheceu a garota na rua há um tempo, a recebeu em um hotel e a alojou no “quarto da portaria”, que entrou no quarto para pegar dinheiro, mas negou que tenha abusado dela.

Os dois acabaram encaminhados para a delegacia, ela acusada de ameaça e ele de estupro.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNão podemos desistir do Brasil nem da política
Próximo artigoTurismo pós-pandemia: plataforma é aposta do governo para a retomada