Estudo científico norteará o futuro da agricultura irrigada em Mato Grosso

A irrigação é uma das ferramentas a serem utilizadas para aumentar ainda mais a capacidade de produção de grãos no estado

A Associação dos Produtores de Feijão, Trigo e Irrigantes de Mato Grosso (Aprofir) reuniu o setor em Cuiabá, representantes da secretária estadual de Meio Ambiente, Ministério Público Estadual para discutir estratégias do estudo sobre a agricultura irrigada a ser desenvolvido pela Universidade Federal de Viçosa, para o Estado de Mato Grosso.

A frente dos trabalhos, os professores Everardo Mantovani (DEA/UFV) e Marcos Heil Costa (DEA/UFV) ouviram as demandas do setor e a partir daí será desenvolvida a primeira fase do estudo cientifico.

Para o professor Everardo Mantovani conhecer as principais necessidades da cadeia produtiva da agricultura irrigada do estado é de fundamental importância para o sucesso do estudo.

“Vamos conversar do ponto de vista territorial, ou seja, o estudo seria para todo o Mato Grosso ou um trabalho especifico para uma região. O que percebemos é que o estado tem uma área irrigada muito pequena, com uma amplitude de área plantada muito grande e com uma disponibilidade de recursos hídricos, então com o trabalho realizado agora vai trazer muita informação, o que vai fazer com que o Mato Grosso possa caminha para uma agricultura irrigada sustentável antes de ter a maioria dos problemas “, disse.

A secretaria adjunta de Licenciamento Ambiental e Recursos Hídricos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema MT), Lilian Ferreira dos Santos destaca a necessidade que o Estado tem de regulamentar algumas questões inerentes à irrigação e barramento, pois são segundo Lilian algumas discussões que existem e precisam ser levadas para o âmbito técnico.

“Para nós é muito importante este evento e que tenha muitos atores, com envolvimento de pessoas técnicas tanto da Sema, quanto das demais entidades envolvidas e em especial do Ministério Público que sempre nos acompanha em nossas atividades”, completou.

Foto: Arquivo/Tony Oliveira/CNA

O presidente da Aprofir, Marlon Fedrizzi explicou que a irrigação é uma das ferramentas a serem utilizadas para aumentar ainda mais a capacidade de produção de grãos no estado e segundo ele, o desafio é fazer isso com sustentabilidade.

“Este estudo é bem abrangente e se falando de um estado continental como o nosso, com diferenças e características próprias entre regiões, então nosso objetivo é que possamos fazer uma agricultura sustentável e ao mesmo tempo produtiva e que seja correta ambientalmente, mas ser paralelamente social atendendo a demandas da sociedade e o estado e a demanda financeira da cadeia produtiva”, comentou.

O evento contou também com a participação da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt) e Secretaria Estadual da Agricultura Familiar.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSTF manda Sefaz compartilhar dados sobre R$ 170 bilhões em exportações de MT
Próximo artigoDuplicação da Avenida Filinto Muller em Várzea Grande entra na reta final

O LIVRE ADS