Estudante de medicina acusado de estupro nega abuso sexual e registra boletim por calúnia

Uma jovem afirma ter sido dopada e estuprada por ele, que afirma que a relação foi consensual

O estudante de medicina da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), de 23 anos, que foi acusado nessa terça-feira (4) em uma sequência de publicações no Twitter de ter dopado e estuprado uma jovem de 18 anos, registrou um boletim de ocorrência acusando a denunciante de ter mentido no relato.

No boletim de ocorrência, o rapaz contou sua versão de como teria conhecido a garota, como teria sido o encontro na noite que ela afirma ter acontecido o estupro e como foi a relação dos dois após esse dia.

Leia também:

Jovem acusa estudante de medicina de tê-la dopado e estuprado

Conforme o estudante, ele conheceu a jovem pelo aplicativo de relacionamento Tinder antes de outubro de 2018, mas só a encontrou pessoalmente na primeira semana de dezembro de 2019 (ele não soube especificar dia), quando combinaram de se encontrar.

Um encontro

Na data, ainda conforme relato do rapaz, ele foi buscar a jovem no Bairro Jardim Universitário, em Cuiabá, próximo a uma cervejaria, e os dois foram para um motel, onde teriam mantido relação sexual normalmente.

Depois, ele a teria levado para a casa de um amigo no Edifício Clarice Lispector, no Bairro Jardim das Américas, onde ficou até vê-la entrar e depois foi embora.

O estudante afirmou à polícia que conversou com a jovem por mais alguns dias após terem se encontrado, mas ela nunca perguntou nada sobre o dia em que saíram juntos. E que, no final de 2019, pararam de se seguir no Instagram.

Nessa quarta-feira (5), porém, o universitário foi surpreendido ao receber mensagens de uma amiga da faculdade, perguntando se ele estava ciente da denúncia feita contra ele no Twitter.

Ameaças

Como ele não tem conta na rede social, ela mostrou o que estava publicado. Logo o estudante começou a receber ataques no Instagram e ameaças no WhatsApp e por ligações.

No boletim de ocorrência, o estudante afirma que os contatos da mãe e até do consultório do pai dele também foram expostos e há incentivo para que façam ataques à família dele.

O estudante afirmou, por fim, que a acusação feita pela jovem na rede social Twitter é mentirosa e registrou um boletim contra ela por denunciação caluniosa e contra uma segunda pessoa, do sexo masculino, por ameaça.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorUma notícia boa!
Próximo artigoBaleada pelo ex, jovem “ressuscita” após morte cerebral ser constatada