|terça, 21 agosto 2018

    Estórias na história da divisão de Mato Grosso

    278
    COMPARTILHECOMPARTILHE

    Passados exatos 40 anos da Lei Complementar 31/77, de 11 de outubro, que definiu a divisão de Mato Grosso para criar Mato Grosso do Sul, a História vai se perdendo. Recordo-me de que era diretor do Departamento de Divulgação do Governo de Mato Grosso – conhecido como Sedimat. A assinatura da Lei Complementar 31/77 foi no dia 11 de outubro de 1977, no gabinete do Presidente general Ernesto Geisel, em Brasília.

    Aqui entra a estória que gostaria de contar neste artigo. Estava em Brasília já havia alguns dias tratando da divulgação do evento na ótica de Mato Grosso.

    A imprensa do país trataria a divisão de Mato Grosso na visão política nacional. A lei seria assinada numa terça-feira, dia 11. Na noite de domingo, o governador Garcia Neto chegara a Brasília para se inteirar do fato ao longo do dia seguinte. Encontrei-o no aeroporto para avisá-lo de que tinha convocado uma entrevista coletiva com a imprensa no Senado Federal para tratar de política estadual, na hora do almoço de segunda. Adiantei aos jornalistas, por minha conta e risco, que ele falaria sobre política nacional também. Era um momento em que esse tema arrepiava qualquer político.

    No caminho entre o aeroporto e o Hotel Nacional de Brasília, onde ele se hospedava sempre, contei-lhe os temas que ouvira de jornalistas políticos que se fossem abordados dariam grande repercussão. Estava com o coração na mão, porque havia combinado isso com os jornalistas sem consultá-lo. Porém, conhecia-o muito bem e sabia que não fugiria da raia. Ele concordou sem discutir. Marcamos para o meio-dia no restaurante do Senado Federal. Lá estava a fina flor do jornalismo político que cobria Brasília.

    Os jornalistas cutucaram-no com varas curtíssimas e ele deu declarações de arrepiar naquele momento político do país. O presidente da República, general Ernesto Geisel era um alemão duro com mão de ferro. O vice-governador Cássio Leite de Barros perguntou-me apavorado se Garcia Neto não tinha ido além do bom senso. Do alto da arrogância dos meus 33 anos, disse-lhe que não. O país queria ouvir alguém contestar o sistema político de Geisel. No dia seguinte, ele foi manchete na imprensa local e nacional.

    Era terça-feira, o dia em que seria assinada a Lei Complementar que dividia Mato Grosso e criava Mato Grosso do Sul. O efeito da entrevista era visível. As lideranças políticas de Mato Grosso do Sul que foram para massacrar o governador de Mato Grosso, ficaram mudas. Garcia Neto era celebridade. Sábio, ele desfilou como um vencedor e assinou a lei como estadista junto com o presidente da República.

    O povo de Mato Grosso que fora num avião Boeing 707 fretado da Vasp (extinta em 2005) vibrou com o governador e sentiu-se vingado das rusgas que aconteceram ao longo do prolongado processo da divisão.

    Dali saímos pra almoçar, depois que o governador Garcia Neto deu um monte de entrevistas e ocupou as páginas dos jornais no dia seguinte à assinatura da Lei Complementar.

    Fomos almoçar em clima de festa. Saíram de Cuiabá em clima de velório. Garcia Neto vingou-os. Nos meses seguintes até o dia 1º. de janeiro de 1979 quando se deu a separação física dos dois Estados, a guerra continuou na separação dos bens patrimoniais, do pessoal, das dívidas e das aposentadorias. Mas isso é assunto para outra conversa.

    Ah. O povo de Mato Grosso do Sul chegou a Brasília na manhã de terça-feira em dois boeings fretados da Vasp pra comemorar. Comeram em silêncio em Brasília. Festaram em Campo Grande na quarta-feira. Em Brasília, festaram os cuiabanos!

    Assinatura Coluna Onofre

     

    Deixe um comentário

    Please enter your name here
    Please enter your comment!

    DESTAQUES

    Bairro Cuiabá História Municípios Policia
    Polícia Civil prende filho acusado de matar pai por esganadura em Confresa
    Ex-prefeito, pai de brasileira morta chega ao Paraguai e nega prisão de suspeito
    Marido mata homem porque ele olhou sua mulher dançar em festa de aniversário
    Assembléia Legislativa Câmara Municipal Eleições 2018 Governo Judiciário Partidos Prefeitura
    Arquiteta teria fugido por acreditar que acidente se tratava de assalto, dizem testemunhas
    Ritmo de campanha: Taques cola em Dante, Mauro em Blairo e Wellington no verde; ouça jingles
    Janaina Riva aposta em segundo turno entre Wellington e Mendes
    Agricultura Agropecuária Economia Agrícola Indicadores Agrícolas Pecuária Tecnologia Agrícola
    Cinco unidades do Indea são revitalizadas com recursos de Fundos
    Soja tem cenário promissor e área plantada deve crescer
    Setor de couro quer melhorar qualidade e aumentar exportações
    Artes Cênicas Artes Plásticas Artesanato Cinema Comportamento Cultura Popular Gastronomia LIteratura Música
    Sesc Arsenal oferta minicurso sobre adaptação literária em multimídia neste sábado
    Evento circense reúne artistas da América Latina em Cuiabá com apresentações ao público
    Fotógrafos profissionais e amadores terão consultorias gratuitas nesta semana
    Corrupção Economia Eleições Estados Política
    Comitê para Migrações repudia agressões a venezuelanos
    Pesquisa da CNI mostra melhora na confiança dos empresários
    Temer e ministros discutem situação de venezuelanos em Roraima
    Concurso Dicas Estágio Vagas de Emprego no Mato Grosso
    Começam inscrições para concurso docente da UFMT
    Por R$ 23 mil, Tribunal de Justiça de Mato Grosso lança concurso para magistratura
    Sejudh abre concurso para agentes penitenciários com salários de até R$ 3 mil
    X