Estado confirma terceira morte por gripe influenza H1N1

A primeira morte, por gripe influenza A, ocorreu em Cuiabá, já a segunda, por gripe influenza B, foi em Tangará da Serra, como já divulgado pelo próprio município na terça-feira (24.04)

A Secretaria de Estado de Saúde, por meio da Vigilância Epidemiológica, confirma a terceira morte por gripe influenza A, subtipo H1N1, no Estado de Mato Grosso, notificada pelo município de Sorriso. O resultado do exame foi divulgado nesta quarta-feira (25.04) pelo LACEN – Laboratório Central do Estado.

A primeira morte, por gripe influenza A, ocorreu em Cuiabá, já a segunda, por gripe influenza B, foi em Tangará da Serra, como já divulgado pelo próprio município na terça-feira (24.04).

A SES informa ainda que deverá receber nesta semana mais um lote da vacina contra a Influenza, com 76 mil doses. Com essa nova entrega, por parte do Ministério da Saúde, subirá para 449 mil doses, sendo que o Estado espera receber um total de 850 mil doses.

Os municípios que registrarem desabastecimento de vacina devem comunicar a situação imediatamente para a gerência de imunopreviniveis pelo telefone (65) 3661-6666.

O Estado ressalta a importância de a população tomar a vacina contra a gripe influenza, especialmente as pessoas que compõem o grupo prioritário:

  • Pessoas com 60 anos ou mais de idade;
  • Crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias);
  • Gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto);
  • Profissionais de saúde, os povos indígenas;
  • Grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais e a população privada de liberdade;
  • e os funcionários do sistema prisional.

É importante ressaltar que a vacina é a única prevenção para a doença.

 

Com Assessoria 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPara fugir do aluguel, famílias ocupam casas abandonadas em residencial
Próximo artigoHomem mais velho de Mato Grosso é atendido na Caravana