Está com calor? Saiba quais pontos de Chapada estão liberados para visitação

Proibição por conta das queimadas continua para o Vale do Rio Claro e Morro de São Jerônimo

Cachoeira Véu de Noiva é um dos pontos turísticos mais conhecidos de Mato Grosso (Foto: Divulgação)

Quem quiser fugir do calor de Cuiabá – onde não chove há 132 dias – pode buscar refúgio em Chapada dos Guimarães (a 65 km da Capital) neste fim de semana. Grande parte dos atrativos turísticos já estão liberados para visitação. Só o Morro de São Jerônimo e o Vale do Rio Claro, que não.

De acordo com o consultor de Turismo da cidade vizinha, Robson Quintino, balneários que ladeiam a MT-251, Véu de Noiva, a trilha das Sete Cachoeiras e Salgadeira, já estão liberados.

“Agora, a suspensão dos passeios está restrita apenas a estas duas áreas. E há limitações também, quanto a algumas trilhas, especialmente, nas duas regiões apontadas”.

Segundo Quintino, muitos comerciantes comemoraram a reabertura de boa parte do Parque Nacional, fechado nos últimos dias por conta dos incêndios florestais.

(Foto: Reprodução/ICMBio)

“Muitos tiveram que suspender as atividades, pois os turistas não podiam circular pelos atrativos. Agora estão reagendando essas visitações”.

E claro, a chuva que caiu em Chapada nesta sexta-feira (20) coroou o novo momento. Principalmente os cuiabanos celebraram a retomada do funcionamento do parque. Rios e cachoeiras costumam ser alternativa de fuga e recreação em meio ao calor escaldante da Capital.

De acordo com o site Climatempo, que tem acertado em algumas de suas previsões, neste sábado (21), em Cuiabá, as temperaturas oscilam entre 25° C (a mínima) e 39° C (a máxima). E no domingo, entre 24° C e 39° C.

O mais empolgante é que, segundo o Climatempo, a previsão de chover em Cuiabá é de 90%, como era previsto para esta sexta-feira em Chapada.

Em Chapada, aliás, o Climatempo prevê temperaturas oscilando entre 22° C e 37° C no sábado e 21° C e 37° C no domingo. E pela previsão, deve continuar chovendo por lá, nestes dois dias.

Mas vale ressaltar, a chuva que caiu na sexta-feira ainda não foi capaz de zerar os focos de incêndio em Chapada. “Por isso, esses locais ainda não foram liberados. É uma estratégia de gestão e proteção tanto do patrimônio natural, quanto dos seus visitantes”, diz Quintino.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.