Especialistas em pulses e amendoim projetam cenário positivo para cultivo em Mato Grosso

O presidente da Ibrafe, Marcelo Luders, apresenta esta tendência de crescimento mundial da demanda por feijão e pulses

Foto: Assessoria

A crescente demanda do mercado nacional e mundial, aliado ao grande potencial a ser explorado no Mato Grosso no cultivo de feijão, pulse e o amendoim, especialistas da cadeia produtiva e representantes de câmaras setoriais se reuniram em Cuiabá para discutir sobre o futuro dos pulses e do amendoim.

O presidente Instituto Brasileiro do Feijão e dos Pulses (Ibrafe), Marcelo  Eduardo Luders apresenta esta tendência de crescimento mundial da demanda por feijão e pulses, e cita algumas causas, como o aumento do poder aquisitivo das classes menos favorecidas nos países como Índia e China, destacando o que Mato Grosso necessita para estar preparado para este cenário. “Primeiro precisamos avançar nas pesquisas e com maiores investimentos no setor, paralelamente criar uma câmara setorial ligada ao governo, no caso a Secretaria Estadual de Agricultura e com representantes do setor privado, abrindo assim uma interlocução mais rápida e efetiva com o próprio governo conseguindo desfazer alguns gargalos que naturalmente existem”, disse.

Apresentando uma nova opção dentro da cadeia de cultivos especiais, o diretor executivo da Associação de Produtores de Feijão, Trigo e Irrigantes de Mato Grosso (Aprofir), Afrânio César Migliari projeta as ações necessárias para elevar o amendoim em Mato Grosso a se tornar competitivo no mercado. “A pesquisa é o principal trabalho a realizado, além disso, temos que mostrar ao Governo Estadual as oportunidades e vantagens de produzir este tipo de lavoura, conquistar mercado e ter resultados financeiros satisfatórios em Mato grosso”, explicou.

No debate, o amendoim também entrou na pauta da discussão, com o presidente da Câmara Setorial do Amendoim do Estado de São Paulo, Luiz Antônio Vizeu avaliando o potencial inexplorado no Brasil no cultivo do amendoim. “É uma grande oportunidade que o Brasil tem de ampliar suas exportações, tanto de óleo de amendoim, como em grãos. Nós já detemos o pacote tecnológico para produzir a variedade estando entre os três maiores produtores mundiais de amendoim de qualidade, mesmo com nossa cadeia produtiva ainda em desenvolvimento”, concluiu.

O produtor de feijão e sementes, Leandro Lodea destacou a importância deste tipo de evento, para se discutir os rumos da produção e promoção do feijão e cultivos especiais no estado. “Com estas ações o setor ganha mais força, abrindo um canal de comunicação com o MAPA e Secretaria Estadual de Agricultura conseguiremos oficializar esta cadeia. E mesmo Mato Grosso sendo produtor, ainda estamos engatinhando em relação a mercados mais fortes, ocupando apenas 15% do potencial que podemos alcançar no futuro”, finalizou.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorRoteiristas ainda estão trabalhando no episódio final de The Big Bang Theory
Próximo artigoSelma contrata nova defesa