Especialista dá sete orientações para você levar em consideração ao planejar um intercâmbio

Planejando a viagem com antecedência, você pode pagar mais barato!

Novo passaporte comum eletrônico brasileiro. O documento passou a ser emitido desde a última segunda -feira (6) pela Polícia Federal e Casa da Moeda, e terá prazo de validade de 10 anos (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Sonha em fazer um intercâmbio e quer saber mais sobre o assunto? O especialista no assunto, Roland Gradinger, afirma que os preços são acessíveis para quem se planeja com antecedência. Os pacotes variam conforme o programa, tempo de curso, país e tipo de hospedagem. Normalmente, os programas de férias custam entre R$ 15 mil e R$ 20 mil.

Já um high school de seis meses ou curso de especialização profissional no Canadá, por exemplo, um dos destinos mais acessíveis, têm preços a partir de R$ 29 mil.

“Há um catálogo de 20 países com oportunidades de estudos, 14 deles, por exemplo, não exigem visto. Participar de um curso de férias é muito mais fácil do que se supõe, têm preço acessível, é parcelável e está disponível para todas as idades”.

A maior preocupação dos pais é com a segurança dos filhos, por isso, o especialista explica que as famílias são selecionadas criteriosamente dentre aquelas cadastradas que querem receber um aluno internacional em casa, pois desejam conhecer outra cultura.

“Também se trata de uma fonte de renda extra, então, é uma relação comercial, por isso o feedback recebido nos últimos anos desse tipo de programa é muito positivo”, diz o especialista que também é diretor da Experimento Intercambio Cuiabá, uma agência especializada há 54 anos em intercâmbio de jovens e adultos no Brasil.

Roland explica quais são os sete itens que você deve levar em consideração para orçar e planejar sua viagem:

1 – Investimento

O primeiro item a ser avaliado é financeiro: quanto você e/ou seus pais podem investir na viagem de estudos e/ou trabalho;

2 – Tempo

Também é necessário ponderar e decidir sobre o tempo disponível para a viagem: um mês, quatro meses, seis meses ou um ano;

3 – Programa ideal

Curso de férias ou profissionalizante com possibilidade de estágio, trabalho voluntário, estudo e turismo combinado, férias com a família inteira (inclusive filhos), high school que pode ser de 6 meses ou 1 ano de imersão total (adolescentes), mestrado, especialização ou estudo e trabalho;

4 – Em que época?

Dependendo do país, a época do ano faz muita diferença, pois no inverno o estudante enfrentará baixas temperaturas (avalie isso);

5 – Tipo de acomodação

Outro importante é o tipo de acomodação: casa de família, onde o estudante fica com as chaves da casa e do quarto (imersão total); ou residências estudantis, que podem ser flats individuais com minicozinha e banheiro privativo ou compartilhadas em campus universitários, com um quarto duplo ou triplo;

6 – Opte por agências

É muito importante escolher uma agência de intercâmbio confiável e que ofereça um bom suporte, principalmente, ao adolescente, pois menores de idade em outro país precisam de um suporte extra, para preservar sua segurança;

7 – Documentação

Planeje-se de preferência com 6 meses ou até um ano de antecedência, para garantir que não haja imprevistos, principalmente, quanto à documentação necessária para a viagem.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAdolescentes trocam festa de 15 anos por intercâmbio: cursos de idiomas são os mais procurados
Próximo artigoVídeo: ladrões invadem Martinello, rendem gerente e levam 40 celulares