Escolas particulares sugerem retomada das atividades em outubro, com rodízio de alunos

Sindicato sugere que as turmas sejam divididas de forma que 50% dos alunos tenham aula presencial num dia e a outra metade, no outro

(Foto: Freepik)

Escolas particulares de Cuiabá devem ser autorizadas a retomar as atividades presenciais em meados de outubro, com um rodízio de alunos. Cada unidade ficará responsável por distribuir a quantidade de estudantes matriculados em 50% para dias alternados de aulas. 

A informação é do presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino (Sinep), professor Gelson Menegatti. Segundo ele, a proposta foi apresentada ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e a sugestão de data de retorno é o próximo dia 19. 

“Cada escola deverá decidir como receberão os alunos. A ideia é que sejam distribuídos em 50%. Por exemplo, a turma que tem 20, terá 10 na segunda e outros 10 na terça; na quarta os primeiros voltam e assim por diante”, explica Menegatti. 

O modelo seria concatenado ao sistema atualmente em funcionamento: aulas remotas, com a liberação de materiais pela internet, em alternância aos dias de atividade presencial. 

Ainda conforme o Sinepe, esse modelo foi proposto à Prefeitura para as escolas de ensino fundamental e de ensino superior, considerando o encerramento do ano e as avaliações de conclusão de curso. 

“Principalmente, os alunos do Enem (Exame Nacional do Ensino Médico), que entraram na reta final de estudos. Daqui a pouco tem o exame e eles precisam se preparar”, defende o professor. 

Já a Prefeitura de Cuiabá informou que tem analisado a situação da pandemia semanalmente, acompanhando os dados sobre contágio diário. O retorno das aulas presenciais dependeria da segurança sanitária. 

Contudo, há expectativa de uma nova etapa de flexibilização do ensino particular. O ensino infantil está liberado desde o dia 10 deste mês.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorApós o #fiqueemcasa, desemprego bate recorde no Brasil
Próximo artigoEleições 2020: falta poderá ser justificada em app pelo celular