Escola de samba nega que alegoria de diabo para o Carnaval tenha rosto de Crivella

Escola explicou que a obra simboliza o "Demônio da intolerância"

Tem circulado nas redes sociais a foto de uma alegoria de Carnaval que exibe o que parece ser o atual prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), com chifres, simulando a imagem do diabo no imaginário popular.

A peça é da escola de samba Acadêmicos do Sossego, pertencente à Série A do Carnaval do Rio. Neste ano a escola vem com o tema: “Não se meta com minha fé, acredito em quem quiser”.

Após a repercussão, a escola publicou em suas redes sociais um comunicado em que informa que a “fotografia foi indevidamente retirada” de seu barracão de alegorias e que a escultura “não faz alusão a nenhuma figura específica”.

A escola ainda explica que a obra simboliza o “Demônio da intolerância” e tem “representatividade abstrata”, tendo os artistas responsáveis “total liberdade” para expressar esse conceito da forma que escolherem.

Corte de verbas

Em 2018, a verba prevista para os desfiles foi cortada pela metade e a escola de samba Mangueira representou o prefeito Crivella na avenida como Judas. Crivella tornou-se pastor e depois foi consagrado a bispo da Igreja Universal do Reino de Deus. Trabalhou por dez anos como missionário em países da África. Ele é sobrinho de Edir Macedo, fundador e líder da igreja.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDesemprego fica em 11,6% em dezembro, com 12,2 milhões de desocupados
Próximo artigoBrasil pode adotar “pequenas sanções” à Venezuela, diz Mourão