“Envergonha sistemas totalitários, não tiveram tanta criatividade”, diz ministro sobre a Lava Jato

na avaliação de Gilmar Mendes, é possível que a operação não tenha respeitado o devido processo legal

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre

Durante a sessão dessa terça-feira (9) no Supremo Tribunal Federal, o ministro Gilmar Mendes não poupou críticas ao trabalho do ex-juiz Sérgio Moro, bem como à operação Lava-Jato e seus integrantes.

De acordo com o ministro, o trabalho de Moro como juiz do caso teria sido autoritário e pode ter violado as regras processuais brasileiras.

“A posição do juiz, referenciada nas mensagens como ‘o russo’, não sei qual a razão, era de um verdadeiro legislador positivo, que criava suas próprias regras e fases processuais. As idiossincrasias da atuação do magistrado não passavam despercebidas, nem mesmo pelos membros da chamada ‘equipe Moro’, como se auto intitulavam os procuradores da força-tarefa”, disse Gilmar Mendes.

Ainda segundo o ministro, em alguns momentos, o trabalho da Lava Jato pode ser comparado aos regimes totalitários. O ministro disse também desconfiar da investigação.

“Isto envergonha os sistemas totalitários, não tiveram tanta criatividade. Da União Soviética, da Alemanha Oriental. É disto que nós estamos a falar. A não ser, como eu disse, e dou o benefício da dúvida, que se prove que isso não existiu, que é obra de um ficcionista”, concluiu o ministro.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAlunos de Medicina ficam fora da lista de vacinação contra a covid-19
Próximo artigoEsquema de propina: MP abre 12 inquéritos com base em delação de José Riva