Entregador é agredido e chamado de “macaco” porque demorou a entregar comida

Além de dar um soco no entregador, o cliente ainda o xingou de "macaco" e "preto safado"

Imagem ilustrativa

Um entregador de comida que atende por meio de aplicativos, de 37 anos, registrou um boletim de ocorrência nessa terça-feira (26) afirmando ter sido vítima de agressão, injúria e preconceito racial durante uma entrega no condomínio Chapada dos Montes, no Bairro Parque Ohara, em Cuiabá.

Conforme o boletim de ocorrência, o entregador foi fazer uma entrega no condomínio, mas o porteiro não permitiu que ele entrasse com a motocicleta.

Como o prédio do cliente era longe da portaria, o motorista enviou uma mensagem para o cliente avisando para ele aguardar, que ele estava indo a pé.

Depois de alguns instantes, porém, ele viu um homem grande e aparentando estar exaltado se aproximando e desconfiou de que era o cliente.

Com medo, o entregador tentou subir na motocicleta e sair, mas não deu tempo e o homem chegou até ele, xingando-o de vários nomes e chegando a chamá-lo de “macaco e preto safado”, consta no boletim de ocorrência.

Leia também:

Cada vez mais exaltado, o homem deu um soco no entregador e só não o machucou de forma mais grave porque ele estava de capacete.

Segundo a vítima, o cliente ainda ameaçou que se ele entrasse no condomínio seria agredido e a polícia seria acionada. E ameaçou também denunciá-lo no trabalho, na intenção de fazê-lo não poder mais trabalhar no aplicativo de entregas.

O caso foi registrado como injúria real, injúria mediante preconceito e crime resultante de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFeira da Mandioca: evento terá produtos orgânicos, oficina de turbantes e muita música
Próximo artigoMPE quer anular estabilidade de servidor que teria sido promovido de forma irregular