Entidades promovem protestos contra a “impunidade” no STF

Manifestação é organizada pela União de 25 entidades de classe do Norte do Estado

(Divulgação)

Entidades de classe do município de Sinop (500 km de Cuiabá) vão-se reunir para demonstrar a indignação diante da “sensação de protelação” por parte do Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento para decidir sobre prender ou não o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT), após condenação em segunda instância, aliada a outras decisões da Côrte, consideradas polêmicas por parte da população.

O grupo organizou uma manifestação que vai acontecer nesta terça-feira (03), aderindo à mobilização nacional com um ato público intitulado “Chega de Suprema Impunidade”.

“Longe dos discursos de ódio e punição a qualquer custo, queremos um julgamento justo e coeso. Queremos nos livrar do rótulo de país da impunidade”, diz o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Subseção Sinop, Felipe Guerra, interlocutor do grupo.

Guerra explicou ainda que a decisão de organizar o protesto foi tomada na noite de domingo de Páscoa, e cada participante da organização se mobilizou para convidar os seus membros e a população.

Desde que a Unesin aderiu ao movimento, mensagens de protesto contra o STF e convites para o ato são divulgados nas redes sociais.

A Unesin é uma entidade que reúne 25 organizações de Sinop e que está em fase de formação, criando uma personalidade jurídica e formatando uma diretoria. Uma das bandeiras mais trabalhadas e divulgadas pela instituição é a reforma do aeroporto municipal.

Unesin
A União das Entidades de Sinop é formada por: Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), a Associação Comercial e Empresarial de Sinop (ACES), a Ordem dos Advogados (OAB), o Conselho Regional de Contabilidade (CRC), o Sindicato dos Madeireiros (SINDUSMAD), o Sindicato Rural, a Associação dos Criadores (ACRINORTE), a Associação Médica, o Conselho Regional de Odontologia (CRO), a Associação dos Engenheiros e Arquitetos (AENOR), o Conselho de Desenvolvimento do Norte de Mato Grosso (CODENORTE), a Associação dos Reparadores de Veículos (ARVES), o Conselho Estadual das Associações de Revendas de Produtos Agropecuários (CEARPA), a Associação dos Loteadores (AELOS), a União Sinopense das Associações de Moradores de Bairros (USAMB), a Ordem dos Ministros Evangélicos de Sinop (OMES), a Mitra Diocesana, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), o Conselho de Engenharia (CREA), a Associação dos Arquitetos (Arquinorte), Associação dos Contadores de Sinop (ASCCONT), Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (CRECI), o Sindicato dos Jornalistas (SINDJOR), Lions Clube, Rotary Clube, e as Lojas Maçônicas.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorProdutores de MT e investidores debatem investimentos em tecnologia e inovação
Próximo artigoPrimeira-dama não será vice