Entidades do comércio de MT entregam propostas para amenizar impacto da pandemia

Contando com a Fecomércio e a CDL, grupo propõe maior prazo para pagar impostos e financiamento a baixo custo

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Entidades do comércio de Mato Grosso, a exemplo da Fecomércio, entregaram propostas ao governador Mauro Mendes (DEM), para tentar amenizar os impactos econômicos da pandemia da covid-19. O documento foi protocolado no final da tarde desta terça-feira (23).

As propostas foram entregues após rejeição dos deputados ao projeto de Mendes que anteciparia feriados no Estado para tentar conter o avanço da doença.

Entre outros, assinam o presidente Fecomércio-MT,  José Wenceslau de Souza Júnior, e o presidente da CDL-MT, Célio Fernandes. “As empresas não são focos de transmissão do vírus, já que o ambiente é controlado com adoção das medidas protetivas”, dizem em trecho do documento.

Ao todo, oito pontos foram levantados pelo grupo. Um deles é o maior prazo para pagamento de impostos, como IPVA e ICMS, e redução ou isenção de taxas. Veja a lista completa  abaixo.

Proposições das entidades:

  1. Participação em Comitê: O grupo quer participar ativamente do Comitê de Situação, “com o objetivo de demonstrar a união do setor, alinhando medidas de controle contra o avanço do novo coronavírus”.
  2. Frota de ônibus: A proposta é manter 100% dos ônibus nas ruas, “com vidros abertos e limitação da capacidade em 50%, com passageiros sentados”.
  3. Venda de bebidas alcóolicas: O consumo de bebidas em bares, restaurantes, conveniências e distribuidoras deve ser proibido.
  4. Aglomerações: As entidades cobram formas de conscientizar a população sobre a necessidade de distanciamento. A ideia é “incentivar a população a denunciar e disponibilizar todo o efetivo nas ruas dos municípios” com maior taxa de infecção.
  5. Supermercados: O horário de funcionamento deve ser ampliado, “evitando aglomeração de clientes”.
  6. Revezamento: Quando não for possível adotar o home office, a proposta é escalonar os funcionários, “para reduzir a pressão sobre o sistema de transporte público e a circulação de pessoas nas ruas”.
  7. Campanha publicitária: Realizar campanhas de conscientização para mudar o comportamento da população. Para isso,  deve-se “solicitar o apoio de emissoras de rádio, TV, jornais, sites, como participação solidária”.
  8. Medidas econômicas: O grupo também quer maior prazo para pagar impostos, redução de taxas, prorrogação na validade de certidões e financiamento a baixo custo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJustiça mantém prisão de membro do CV acusado de tráfico de drogas e assalto a banco
Próximo artigoALMT dá brecha para lockdown e aprova requerimento de quarentena obrigatória